mitologia ibérica

Permanecendo uma das mitologias menos conhecidas da Europa pré-romana, foi por este povo e pelos Celtas quase submergida e profusamente misturada com os seus próprios panteões. Com base em esparsos achados arqueológicos e vagos registos epigráficos, o enigma persiste. Todavia, a existência de formas cultuais e o sincretismo com as civilizações posteriores atestam que os vários povos ibéricos pré-clássicos tinham um panteão com inúmeros deuses.
Antes de mais, entenda-se por iberos um conjunto de vários povos unidos por traços etnolinguísticos comuns e aparentados com os celtiberos, os quais viviam nas periferias da centralidade ibérica na Península, que ultrapassava em parte os Pirenéus. Iberia era uma palavra grega que se atribuía a todas as terras situadas nos limites do mundo conhecido até à época clássica. Recorde-se que existia uma Iberia junto ao Cáucaso, na atual Geórgia, por exemplo.
Quanto à mitologia ibérica, é, de facto, uma das mitologias menos conhecidas, em boa parte devido à sua subalternização e mesmo aculturação em relação à Celta, que se lhe sobrepôs e a aglutinou em grande parte ou mesmo pela miscigenação com a romana, por exemplo. Restam aras votivas e referências epigráficas esparsas e pouco objetivas do ponto de vista identificativo das divindades e sua genealogia ou culto. No entanto, pode-se afirmar que existem diferenças evidentes em relação à mitologia celta. Tanto quanto se sabe, não existia um "clero" subordinado aos deuses dos iberos, com vinculações sócio-políticas (como nos celtas), nem mesmo códigos de carácter moral ou ético, e mesmo preocupações metafísicas, no sentimento religioso dos iberos face às suas divindades. Conhecem-se pouco mais de uma centena de deuses ou divindades na mitologia ibérica, de que pouco mais se sabe para além da designação. Como sucedeu na Gália ou até em relação a algumas regiões celtas da Península, não se poderão fazer analogias, criar relações visíveis entre as divindades da Ibéria e eventuais correspondências greco-romanas. Apenas na combinação onomástica de nomes latinos e deuses ibéricos se adivinha uma hipotética relação, embora apenas algumas epígrafes esparsas nos revelem incipientemente tais relações.
Entre os iberos, as forças transcendentes comunicavam com o mundo dos vivos, acreditava-se, através dos antepassados. Se o mistério se pode aplicar à mitologia, a ibérica foi uma das que mais o adensou, pois os seus deuses, tão naturalistas e identificados com os ambientes de montanha, as águas, as rochas e outros elementos naturais, assumiam-se como entidades divinas sem genealogia específica ou uma iconografia sugestiva, com exceção de algumas divindades. Os deuses e deusas tomavam formas animais, quase sempre fabulosas (serpentes...), ou humanizadas (leões com cabeça humana), algumas das representações que a arqueologia tem evidenciado, principalmente no Centro-Sul de Espanha e, por vezes, no Alentejo. A natureza, história e "personalidade" dessas divindades, como de todas as outras da Ibéria pré-céltica, permanecem obscuras. O facto da arqueologia ter dado a conhecer representações aladas e espaços de culto em grutas pode dar a entender que os iberos colocavam os seus deuses em dois planos: um celeste e outro subterrâneo.
As culturas castrejas do Noroeste peninsular parecem ter assimilado e cultuado estes deuses/animais fantásticos, adorados em lugares elevados ou junto a cursos ou fontes de água doce, onde surgiam santuários comunitários, que muitas vezes não passavam de meros lugares dotados de forte carga simbólica e religiosa. Como alguns estudos recentes têm sugerido, as peregrinações a esses lugares eram já comuns entre os iberos, e mesmo a deposição nesses espaços sagrados de ex-votos (representações do ofertante, testemunhando a sua adesão ao sagrado), em pose de oração devota. Numa fase mais tardia, já depois do século V a. C., surgiram espaços de culto tipo "templo" (como em Cerro de los Santos, Espanha).
Como referenciar: mitologia ibérica in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-24 13:31:54]. Disponível na Internet: