Moimenta da Beira

Aspetos Geográficos
O concelho de Moimenta da Beira, do distrito de Viseu, localiza-se na Região do Norte (NUT II) no Douro (NUT III). Ocupa uma área de 220 km2 e abrange 20 freguesias: Aldeia de Nacomba, Alvite, Arozelos, Ariz, Baldos, Cabaços, Caria, Castelo, Leomil, Moimenta da Beira, Nagosa, Paradinha, Passo, Pera Velha, Peva, Rua, Sarzedo, Segões, Sever e Vilar.
O concelho apresentava, em 2005, um total de 11 031 habitantes. O natural ou habitante de Moimenta da Beira denomina-se moimentense.
O concelho encontra-se limitado a norte pelos concelhos de Armamar e Tabuaço, a oeste por Tarouca, a sudoeste por Vila Nova de Paiva, a este por Sernancelhe e a sul por Sátão.
Possui um clima mediterrânico com feição continental, apresentando invernos frios e verões quentes e secos.
A sua morfologia é acidentada, destacando-se como áreas de maior altitude a serra de Leomil (1009 m) e a de Santo Antão (841 m).
Como recursos hídricos, possui a ribeira de Leomil, a ribeira de Temilobos e o rio Tedo.

História e Monumentos
A história do município de Moimenta é relativamente recente, contudo, as origens do território que constitui o atual concelho remontam a épocas distantes.
Existem abundantes e dispersos vestígios pré-históricos, como o dólmen no planalto da Nave, o castro de Caria (desaparecido), o castro lusitano-romano de Sanfins (Paçô), e outros, como os restos do castro amuralhado de Peravelha a sudoeste da sede do município. Assim, nos tempos proto-históricos, por aqui se sepultavam pessoas importantes de dois povos vizinhos, Caria e Leomil.
Nos fins do século X, Almançor arrasou a região e os seus exércitos destruíram a povoação e o Castelo de Caria, que a dama goda D. Chama deixara ao Mosteiro de Guimarães.
No século XI, quando o senhor da honra de Caria, Egas Moniz, povoou estes lugares, fixou nas terras da "moimenta" alguns colonos de que nasceu um pequeno povo, vila ou aldeia e "moimenta" passou a ser Moimenta.
Nos tempos antigos, Moimenta era um lugar insignificante que pertencia ao concelho de Caria, ao qual pertenciam também Aldeia Nacomba, Toitam e Arcozelos. No século XV, Moimenta saiu de Caria e, com os povoados de Paradinha, Cabaços e Baldos, formou a primitiva freguesia de S. João Batista de Moimenta.
Em 1896, estavam definitivamente marcados os contornos geográficos do atual concelho de Moimenta da Beira.
Sabe-se que Moimenta é uma palavra de origem latina, do étimo monumentum.
Ao nível do património histórico e arquitetónico, para além dos vestígios proto-históricos já mencionados, destaca-se a Igreja Matriz, que pertenceu a um convento beneditino, fundado em 1594 e que apresenta, no seu interior, um rodapé de azulejos policromáticos, do século XVII, e o túmulo do seu fundador. É de referenciar, ainda, as casas brasonadas dos Guedes e dos Carvalhos, com esta última a ser adaptada a Paços do Concelho.

Tradições, Lendas e Curiosidades
As manifestações culturais e populares são abundantes no concelho, sendo de destacar a festa ao Mártir S. Sebastião, realizada a 20 de janeiro; a festa de S. Francisco, a 4 de outubro; a de S. João, a 24 de junho; a de S. Tiago, a 25 de julho; a do Senhor dos Passos, no primeiro domingo de setembro, e a festa de Santo António, realizada em junho.
Ao nível de artesanato, o destaque vai para as cestas, os capotes de burel, as meias de lã, as mantas de retalhos, os socos serranos e os linhos.

Economia
No concelho predominam as atividades ligadas ao setor terciário, seguindo-se os setores secundário e o primário, relativamente próximos.
A agricultura mantém uma grande importância, destacando-se os cultivos de cereais para grão, frutos frescos, prados temporários e culturas forrageiras, batata, prados, pastagens permanentes e vinha. A pecuária tem também alguma importância, nomeadamente na criação de bovinos, coelhos e aves. Quase 53% (1333 ha) do território do concelho está coberto de floresta.
Como referenciar: Moimenta da Beira in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-18 08:32:28]. Disponível na Internet: