Moleskine

Bloco de notas de bolso, surgiu, inicialmente, no século XIX, época durante a qual foi utilizado por artistas como o pintor holandês Vincent Van Gogh. Já no século XX personalidades da cultura como o pintor francês Henri Matisse, o poeta francês André Breton, o pintor espanhol Pablo Picasso, o romancista e jornalista norte-americano Ernest Hemingway e o escritor e viajante Bruce Chatwin surgiram como utilizadores deste bloco.
Apesar de bastante popular, deixou de ser produzido e comercializado em 1986. Nessa altura era confecionado por uma pequena empresa familiar de Tours, em França. Bruce Chatwin, um dos maiores adeptos do Moleskine, encomendou previamente cem unidades para levar numa viagem à Austrália. Quando o bloco já não era vendido, ofereceu um ao seu amigo escritor chileno Luis Sepúlveda, antes de este partir numa expedição à Patagónia. Sepúlveda acabou, a par de Chatwin, por ser um dos maiores divulgadores do Moleskine, que voltou a ser produzido em finais do século XX, em 1998, por iniciativa de uma empresa italiana. O bloco Moleskine ganhou então uma nova vida e passou a ser um objeto na moda, com vendas enormes à escala mundial. Nas campanhas publicitárias para o seu relançamento foram utilizadas as palavras elogiosas de Bruce Chatwin entretanto falecido.
Devido ao crescente sucesso do Moleskine, foram sendo introduzidas novas versões do bloco que se adaptaram às necessidades dos seus compradores.
O pequeno caderno tem um conceito muito simples. Tem uma capa preta e dura impermeável, um elástico para permanecer fechado, um marcador de folhas em tecido e uma bolsa interior no final para guardar pequenas folhas soltas. O seu tamanho, 9X14 cm, foi idealizado de modo a caber num bolso. Atualmente existe uma versão maior com 13X21 cm. Há blocos com folhas brancas, com linhas, quadriculadas, com lista de endereços, agenda, com seis bolsas para guardar documentos e com índice para tomar notas por temas. Foi também criada uma linha chamada "cahiers" com capa mole e menos páginas, onde, para além da habitual capa preta, foi acrescentada uma alternativa castanha clara.
O bloco Moleskine apareceu em filmes como O Fabuloso Destino de Amélie e Indiana Jones e a Grande Cruzada.
Como referenciar: Porto Editora – Moleskine na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-12-06 00:35:55]. Disponível em