Monção

Aspetos Geográficos
O concelho de Monção, do distrito de Viana do Castelo, localiza-se na Região Norte (NUT II), no Minho Lima (NUT III). Situa-se na margem esquerda do rio Minho que estabelece a fronteira com Espanha a norte. Encontra-se rodeado pelo concelho de Melgaço a nascente, por Arcos de Valdevez a sul e por Valença e Paredes de Coura a poente e sudoeste, respetivamente.
Dista cerca de 110 km para nordeste da cidade do Porto, cobrindo uma área de 211,2 km2, por onde se distribuem 33 freguesias: Abedim, Anhões, Badim, Barbeita, Barroças e Taias, Bela, Cambeses, Ceivães, Cortes, Lapela, Lara, Longos Vales, Lordelo, Luzio, Mazedo, Merufe, Messegães, Monção, Moreira, Parada, Pias, Pinheiros, Podame, Portela, Riba de Mouro, Sá, Sago, Segude, Tangil, Troporiz, Troviscoso, Trute e Valadares. Em 2005, o concelho apresentava 19 837 habitantes.
O natural ou habitante de Monção denomina-se monçanense.

História e Monumentos
Em finais do século XVII, aquando das Guerras da Restauração, devido à sua localização estratégica junto à fronteira com Espanha, foi erguida uma imponente fortaleza de tipo Vauban. Do seu património, destacam-se as duas portas do velho castelo; a Igreja Matriz, de origem romana, ladeada por uma torre com coroamento setecentista; a Igreja da Misericórdia, monumento barroco do século XVIII, e a Capela de São Francisco, junto ao Convento dos Capuchos. Monção possui um significativo conjunto de casas brasonadas e apalaçadas edificadas durante os séculos XVIII e XIX.

Tradições, Lendas e Curiosidades
O concelho é rico em lendas e tradições, lembrando os longos cercos à praça-forte, perpetrados por espanhóis e franceses e contrariados por valentes e corajosas mulheres, deixando nomes para a História ou para histórias, como Helena Peres ou Deu-La-Deu Martins. Ficaram célebres pela sua tenacidade e resistência na luta contra os invasores, encorajando os homens ou pegando elas mesmas em armas.
Da cultura de Monção faz também parte a "coca". Perde-se nos tempos a celebração desta tradição. No dia do Corpo de Deus, encena-se na praça de Deu-La-Deu o curioso combate entre São Jorge e o Dragão - a Coca. Um São Jorge devidamente engalanado e vistoso, persegue a cavalo a coca que se move pesada e lentamente com grande alvoroço. Este combate, entre o Bem (São Jorge) e o Mal (a "coca"), termina naturalmente com a vitória do Bem, para o agrado de uma sempre numerosa assistência.
Além desta festa, realiza-se a Romaria da Senhora da Cabeça, na terça-feira de Páscoa e as Festas Concelhias em honra da Senhora das Dores, no quarto domingo de agosto.
O feriado municipal é o dia do Corpo de Deus.
A tecelagem de linho com os seus bordados, a latoaria, o fabrico de cera, a cestaria e a tamancaria são as principais atividades artesanais da região.

Economia
Monção é conhecida pelas suas paisagens, banhadas pelo rio Minho e seus afluentes, onde se pratica a pesca da lampreia, trutas, robalos e tainhas.
Nos campos, cultiva-se milho, produtos hortícolas, centeio, batata, fruta. É aqui que se produz o afamado vinho verde Alvarinho. Na pecuária, destaca-se o gado bovino e suíno. No setor da transformação aparece a indústria de laticínios, a destilação de aguardente vínica, serrações e produção de objetos de madeira. Extensas áreas com abundantes pontos de interesse e sítios panorâmicos - como os montes da Assunção, da Senhora da Graça, da Senhora da Vista, o circuito das estradas florestais ou as antigas casa de pedra e colmo de Santo António de Vale de Poldros - constituem a atração turística da região, à qual se acrescenta o Parque das Termas. O setor do turismo, nomeadamente do turismo termal e do turismo rural e de habitação, tem sido e continuará a ser uma forte aposta para o desenvolvimento deste concelho.
Como referenciar: Monção in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-11 17:40:49]. Disponível na Internet: