Mosteiro de S. Pierre de Moissac

O Mosteiro de Moissac, situado, no Tarn-et-Garone, foi fundado no século VII, estando em ruína em 1048, quando passou a ser um priorado de Cluny.
Com o abade Durand, monge formado em Cluny, deu-se a reforma espiritual e material do cenóbio. Mais tarde, um dos seus sucessores, o abade Ansquitil (1085-1115), encarregou-se da edificação do claustro que sofreu uma profunda transformação arquitetónica no século XIII.
Do seu programa iconográfico salientam-se os relevos, situados nos ângulos e no centro de cada galeria, representando os apóstolos. Atualmente, apenas se conservam nove apóstolos, mas no projeto inicial deveriam estar todos. Estes seriam concebidos como os pilares da igreja, simbolizada neste caso pela estrutura arquitetónica do claustro.
Em frente à sala capitular dispunha-se um relevo com a éfige do abade-bispo Durand, uma imagem, estrategicamente situada, que pretendia sublinhar a transcendência dos abades de Cluny, mesmo depois de mortos.
Os capitéis reproduzem temas historiados, como o martírio de São Pedro, o apóstolo preferido de Cluny, enquanto outras esculturas apresentam motivos ornamentais.
No tímpano do portal da igreja está esculpido Cristo entronizado dentro da mandorla e a arquitrave está ornada com um friso de motivos vegetalistas.
Como referenciar: Mosteiro de S. Pierre de Moissac in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-12-06 02:01:00]. Disponível na Internet: