movimentos de terrenos

Os movimentos de terrenos, também chamados movimentos em massa, correspondem a situações em que se assiste à movimentação de uma grande massa de materiais sólidos, ou de forma muito lenta e quase impercetível ou, mais frequentemente, de forma brusca e inesperada.
A ocorrência dos movimentos de terrenos está condicionada por causas naturais e por causas antrópicas, que podem, por sua vez, estar relacionadas com fatores condicionantes e com fatores desencadeantes.
Os fatores condicionantes correspondem a condições mais ou menos permanentes que podem influenciar os movimentos de terrenos, retardando ou acelerando a sua ocorrência. Estão relacionados com o contexto geológico (tipo, características e disposição das rochas, orientação e inclinação das camadas rochosas e o seu grau de alteração e de fracturação) e com as características geomorfológicas do local (declive dos terrenos, força da gravidade e força do atrito). Os fatores desencadeantes resultam de alterações que foram introduzidas numa determinada vertente e que podem provocar movimentos em massa. Exemplos de fatores desencadeantes são a precipitação, a ação humana, a atividade sísmica e a ocorrência de vibrações, as tempestades nas zonas costeiras e as variações de temperatura.

Os movimentos de terrenos podem causar grande destruição, pelo que, respeitando as regras de ordenamento do território, não se pode construir nas zonas de risco de movimentos de terrenos.
A prevenção da ação dos movimentos de terrenos passa pela realização de avaliações rigorosas do impacto das atividades humanas numa determinada região e pelo conhecimento geológico dessa mesma região.
Como referenciar: movimentos de terrenos in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-09-25 14:32:19]. Disponível na Internet: