Município Romano

Sendo um termo no seu início aplicado individualmente, sob a forma de municipes, designava uma pessoa que possuía determinados direitos ao estabelecer-se na cidade de Roma. Entre estes direitos contavam-se os de civitas sine suffragio e de hospitium publicum.
Progressivamente, este conceito foi designando uma organização territorial particular, que contava para a sua administração de um senado, comícios e magistrados, pontualmente supervisionados por um praefectus, funcionário estatal.
Ao município romano era permitido aplicar as suas próprias leis, caso decidissem não utilizar as que geriam o mundo romano, tendo os seus habitantes direito de servir nas legiões, de casar com cidadãos romanos e de comerciar com os residentes na Urbe.
Como referenciar: Município Romano in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2018. [consult. 2018-12-16 00:43:03]. Disponível na Internet: