Mustafa Kemal Ataturk

Fundador e primeiro Presidente da República da Turquia, Mustafa Kemal Ataturk nasceu a 12 de março de 1881, em Salónica, na época, uma cidade do império otomano e, posteriormente, pertença da Grécia. O seu pai, Ali Riza, um oficial da alfândega, que se transformou num próspero negociante de madeiras, morreu era Mustafa ainda jovem. Primeiro, frequentou uma escola tradicional de inspiração religiosa e posteriormente Mustafa muda para o ensino público. Em 1893, o jovem foi admitido na Escola Militar, onde o professor de Matemática, dada a excelência dos resultados obtidos por Mustafa, o "batiza" com o nome de Kemal, que significa perfeição, passando então a chamar-se Mustafa Kemal.
Em 1905, Mustafa Kemal graduou-se com a patente de 1.o Capitão, na Academia Militar de Istambul. Colocado em Damasco, deu início, juntamente com alguns companheiros, a uma sociedade clandestina designada de "Pátria e Liberdade". Esta associação secreta surgiu com o objetivo de prosseguir a luta contra o despotismo do regime do Sultão. Em 1909, o jovem Capitão fez parte da conspiração que derrubou o Sultão, ABD Al-Hamid II. A carreira militar de Mustafa Kemal teve um notório incremento, pois alicerçou o seu lendário heroísmo nos cantos mais remotos do Império, como na Albânia e em Trípoli. Além do mais, tornou-se no único comandante otomano a ganhar fama lendária durante a Primeira Guerra Mundial (1914-18).
Em 1915, Kemal, em plena Guerra, frustou as tentativas britânicas de desembarque em Galipoli e, posteriormente, manteve unido o exército Turco da Síria. No mesmo ano, tornou-se um herói nacional pelas sucessivas vitórias que conseguiu e por repelir finalmente os invasores. Promovido a General, em 1916, com apenas 35 anos, libertou nesse mesmo ano duas das maiores províncias da Turquia oriental. Nos dois anos seguintes, Mustafa Kemal serviu como Comandante em diversos exércitos otomanos. Em 1918, opôs-se determinantemente à decisão do governo Turco de se render aos Aliados. A 19 de maio de 1919, Mustafa Kemal desembarcou no porto de Samsun, no Mar Negro, com o objetivo de iniciar a Guerra da Independência. Em 1920, assinou o Tratado de Sèvres, no qual renunciava a certas áreas da Anatolia, em prol da ocupação estrangeira. Destacado para supervisionar a desmobilização militar em Anatolia, Mustafa usou de toda a sua autoridade e sólida reputação, conquistadas durante a Primeira Guerra Mundial, para organizar um exército nacional de libertação que definitivamente levou à expulsão das forças de ocupação Aliadas e à abolição do Sultanato, substituindo-o pelo sistema político da República. Convocou o Congresso de Erzurum e Sivas, em que se estabeleceu o novo ideário nacional, a ser realizado sob os auspícios da liderança de Mustafa Kemal. A 23 de abril de 1920, foi inaugurada a grande Assembleia Nacional Turca (unicamaral) e consagrada a existência de um único partido (o de Mustafa Kemal), o Partido Republicano do Povo. Mustafa Kemal foi eleito para a presidência do Parlamento. A seguir ao triunfo turco nas duas grandiosas batalhas de Inonu, na Turquia ocidental, a Assembleia Nacional atribuiu a Mustafa Kemal o título de Comandante-em-Chefe, com a alta patente de Marechal. Em 1922, a Turquia foi completamente libertada, o armísticio foi assinado e abolida a lei da dinastia otomana. Em julho de 1923, o governo nacional assinou o Tratado de Lausanne com a Grã-Bretanha, França, Grécia e Itália, entre outros países. Em outubro, Ancara foi designada capital do novo Estado. Nesse mesmo mês, Mustafa Kemal foi, unanimemente proclamado Presidente da República.
O somatório dos quinze anos da Presidência de Mustafa Kemal constituem uma saga da modernização de um país, de certa forma dramática. Com uma determinação insuperável, o Presidente turco criou um novo sistema político-legal, aboliu o califado, laicizou o governo e a educação, deu direitos civis às mulheres, introduziu o vestuário ocidental, o alfabeto latino e promoveu o desenvolvimento das artes, ciências, indústria e agricultura nacionais.
Em 1934, quando os apelidos foram legalmente adotados, o parlamento nacional atribuiu-lhe o nome de "Ataturk" (Pai dos Turcos).
A 10 de novembro de 1938, o libertador nacional e fundador do moderno Estado Turco morreu, sendo o seu corpo transladado em 1953 para um grandioso mausoléu na Turquia.
Como referenciar: Mustafa Kemal Ataturk in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-25 05:26:46]. Disponível na Internet: