Neptuno (astronomia)

Neptuno, planeta do sistema solar, situado entre Úrano e Plutão, descreve, em torno do Sol, uma imensa órbita quase circular (e = 0,0427), com cerca de 4500 milhões de quilómetros de raio (30 U.A.) e com uma inclinação de 1º 47´ em relação ao plano da eclíptica.

Demora cerca de 164 anos e 280 dias terrestres a descrever uma volta em torno do Sol. Só no ano 2011 descreveu uma volta completa em relação à altura em que foi descoberto.

Embora invisível à vista desarmada, Neptuno pode ser observado no telescópio se for ampliado pelo menos 300 vezes. Vê-se, então, um disco azul-esverdeado cujo diâmetro aparente nunca ultrapassa 2,9´´(arcos de segundo).

Este planeta tem um diâmetro equatorial de 49 528 km (um pouco inferior ao de Urano), uma massa que corresponde a 17,15 vezes a da Terra e uma densidade média de 1,67 g/cm3, que é a maior das densidades dos planetas gigantes do Sistema Solar. O seu período de rotação é de 16 h 3 min e o plano equatorial faz um ângulo de 29,58º com o plano da órbita.

Neptuno possui uma atmosfera redutora, rica em hidrogénio (contrariamente à da Terra que é oxidante, rica em oxigénio), à semelhança de Urano. Foi, ainda, detetada a presença de metano e de hélio. Admite-se, também, a existência de uma camada de nuvens de amoníaco na parte mais baixa da atmosfera, bem como algumas nuvens de árgon a elevada altitude.

Estima-se que a temperatura na região central de Neptuno seja da ordem dos 7000 ºC, com uma pressão de 20 milhões de atmosferas. O núcleo rochoso de Neptuno, essencialmente formado por silicatos de ferro, poderá ser sólido ou líquido e tem cerca de 8000 km de raio. Ao núcleo segue-se um manto, com uma espessura de cerca de 10 000 km, constituído por água, metano e amoníaco congelados. Finalmente, surge uma espessa camada exterior constituída por hidrogénio e hélio.

O valor médio da temperatura à superfície de Neptuno é de cerca de -214 ºC. Pensa-se que, à semelhança de Júpiter e Saturno, Neptuno possua um importante campo magnético.

Neptuno possui treze satélites. Tritão, o maior de todos, descreve uma órbita quase circular, no sentido retrógrado, em 5 dias e 21 h, em torno de Neptuno. Nereida, um satélite bastante mais pequeno, desloca-se no sentido direto, descrevendo a órbita mais excêntrica de todo o Sistema Solar (e = 0,75) em 360 dias.

A sonda Voyager II detetou, em 1989, a existência de um sistema de anéis finos e de forma irregular em torno de Neptuno.
Como referenciar: Porto Editora – Neptuno (astronomia) na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-12-08 10:52:39]. Disponível em