Neue Künstlervereinigung

Associação de artistas expressionistas formada em 1909 em Munique por um grupo de artistas, entre os quais se destacavam Alexeï von Jawlensky (1864-1941), Adolf Erbslöh e Wassily Kandinsky (1866-1944), que foi o seu primerio presidente.
Formado em paralelo com o movimento Die Brücke, na altura ativo em Dresden, este grupo apresentava um carácter mais livre e menos coeso e procurava constituir uma plataforma para o desenvolvimento das mais diversas manifestações, tendo como objetivo fundamental a tentativa de ultrapassar o atrasado e eclético panorama artístico alemão. Apresentava ainda alguns denominadores conceptuais que o ligavam intimamente ao movimento expressionista, tal como a ideia subjetiva e individualizada do processo criativo, o entendimento da comunicação estética como algo de pessoal e íntimo e a necessidade do artista cruzar a perceção mais ou menos objetiva da realidade com a sua própria sensibilidade interior.
A ligação deste movimento com a produção artística francesa coeva, como por exemplo a pintura fauvista, manifesta-se em muitos dos trabalhos realizados por Kandinsky ou por Jawlensky, no seu intenso cromatismo, na temática da paisagem.
Wassily Kandinsky (1866-1944), o artista mais marcante deste grupo, representa o momento de transição de uma figuração muito diluída para uma linguagem inteiramente abstrata, baseada exclusivamente na capacidade comunicativa e espiritual dos materiais básicos da expressão plástica, como a cor e a forma. O seu primeiro trabalho abstrato foi uma aguarela, realizada em 1910.
De entre os restantes artistas que integravam o grupo, destacam-se os alemães Alexander Kanoldt (1881-1939), Gabriele Münter (1877-), companheira de Kandinsky, e Karl Hofer (1878-1955), da Morávia Ótakar Kubín (1883-1969), Marianne von Werefkin (1860-1933) e os irmãos russos David Bourtilouk (1882-1967) e Vladimir Bourtilouk (1886-1917), assim como Alexeï von Jawlensky, anteriormente ligado ao movimento fauvista.
Mais tarde, juntaram-se ao grupo os pintores franceses Pierre Giraud e Henri Le Fauconnier (1881-1946) assim como dois promissores pintores alemães, Franz Marc (1880-1916) e August Macke (1887-1914).
Uma das principais atividades da Neue Künstlervereinigung foi a organização de exposições coletivas, para as quais eram publicados catálogos que constituíam um meio para reflexão sobre a produção artística e sobre os fundamentos estéticos do movimento. No prefácio do catálogo da primeira exposição de grupo, realizada em 1909, foi apresentado o programa teórico do movimento, denunciando o seu carácter aberto e universalizante.
O catálogo da segunda exposição do grupo, apresentada em 1910, incluía um texto do pintor Odilon Redon, um dos pintores que maior influência exerceu sobre esta corrente. Nesta exposição figuravam, para além dos seus membros, outros artistas marcantes da cena artística europeia, como Alfred Kubin, Maurice Vlaminck (1876-1958), André Derain (1880-1954), Van Dongen, Picasso e Georges Rouault (1871-1958).
Durante a preparação para a terceira exposição, uma das telas de Kandinsky foi retirada da montagem devido ao seu grande tamanho, incidente que provocou uma rutura interna, levando a que um conjunto de artistas, entre os quais o próprio Kandinsky, organizassem uma apresentação independente que constituiria a primeira atividade do movimento Der Blaue Reiter.
Como referenciar: Neue Künstlervereinigung in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2021. [consult. 2021-05-06 07:59:19]. Disponível na Internet: