Artigos de apoio

O Cantor de Jazz
The Jazz Singer, realizado em 1927 por Alan Crosland, ocupa um lugar único na História do cinema: foi o primeiro filme falado. Conta a história de um conflito de gerações numa família judia, entre Cantor, um pai que pretende que Jakie, seu filho, cante na sinagoga e este, que se dedica, ao invés, à música profana, sob o nome artístico de Jack Robin, tornando-se um entertainer de cabaret. O pai só lhe perdoará a traição no seu leito de morte. O facto de ter arriscado num filme sonoro foi uma aposta ganha pela Warner Brothers. Anos antes, Thomas Edison e Lee De Forest haviam feito experiências bem-sucedidas em combinar efeitos sonoros com imagem real. Para protagonista do filme, foi escolhido uma vedeta do teatro musicado da Broadway que proferiria a célebre primeira frase do cinema sonoro: «You Ain't Heard Nothing Yet, Folks...». Contudo, dos cerca de 90 minutos que compõem o filme, só cerca de 20 minutos se referem a sequências faladas, sendo que o restante é uma combinação de cenas mudas com orquestrações gravadas. Jolson celebrizaria canções como «My Mammy», «Blue Skies» e «Toot Toot Tootsie Goodbye» que fizeram do filme um êxito sem precedentes na sua época, entusiasmando plateias mundiais. O filme mereceu dois remakes de inferior qualidade: um realizado em 1953 por Michael Curtiz com Danny Thomas e Peggy Lee como protagonistas e outro, mais recente, datado de 1980, e com o argumento adaptado aos tempos do rock, com Neil Diamond e Laurence Olivier nos principais papéis, dirigidos por Richard Fleischer.
Como referenciar: O Cantor de Jazz in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2017. [consult. 2017-12-14 06:37:32]. Disponível na Internet: