O Despertar da Mente

Comédia romântica norte-americana realizada em 2004 por Michel Gondry com o título original Eternal Sunshine of the Spotless Mind. Foi produzido por Anthony Bregman e Steve Golin, com argumento original de Charlie Kaufman, fotografia de Ellen Kuras e música composta por Jon Brion. As interpretações principais foram de Jim Carrey, Kate Winslet, Kirsten Dunst, Tom Wilkinson, Elijah Wood e Mark Ruffalo.
Trata-se na sua essência de uma história de amor, emoldurada num conto de ficção científica, sendo o resultado uma obra cheia de imaginação e fantasia.
Joel Barish (Jim Carrey) e Clementine Kruczynski (Kate Winslet) são um casal com demasiadas diferenças entre si. Joel é tímido, passivo e introspetivo; Clementine é enérgica, aventurosa, idealista e espontânea. Apesar dos opostos se atraírem, as diferenças acabam por se tornar grandes obstáculos à harmonia do casal. Um dia, Clementine, após uma discussão e consequente corte na relação, decide apagar Joel da sua memória, literalmente. Para isso, contacta um médico, Dr. Howard Mierzwiak (Tom Wilkinson), na clínica Lacuna que desenvolveu um método inovador e experimental para conseguir apagar memórias indesejadas referentes a alguém específico da mente das pessoas. Joel, por sua vez, recorre aos mesmos métodos e serviços do Dr. Mierzwiak e da sua equipa - Stan (Mark Ruffalo), Patrick (Elijah Wood) e Mary (Kirsten Dunst) - quando sabe que Clementine já não o reconhece, ficando completamente deprimido. Só que em Joe o processo provoca-lhe uma verdadeira viagem pela sua mente e pelas suas recordações. Então descobre que não quer apagar essas memórias, porque fazem parte dele e porque a ama, invertendo o processo e colocando-a em situações da sua vida em que ela não esteve presente, incluindo a sua infância. O filme acaba por mostrar o funcionamento da memória, ou seja, a forma como a memória é seletiva e nos condiciona toda a vida. No final, Joel e Clementine, que já não se conhecem, voltam-se a encontrar e percebem que irão sempre entrar no mesmo círculo: estarem juntos e quererem esquecer-se mutuamente. Porque fazem parte do destino um do outro.
Eternal Sunshine of the Spotless Mind é uma frase retirada do poema "Eloisa to Abelard", de Alexander Pope, e propõe na sua essência a seguinte questão: a recordação de um amor real mas doloroso é, no final, uma boa recordação que merece apreço? Conclui-se que as memórias, boas ou más, são o que de mais valioso temos na vida.
Muito apreciado pela crítica, O Despertar da Mente ganhou o Óscar para Melhor Argumento Original e o BAFTA da mesma categoria, tendo também sido nomeado para o César de Melhor Filme Estrangeiro.

Como referenciar: O Despertar da Mente in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-01-27 12:55:22]. Disponível na Internet: