O Monge de Cister

Romance histórico, de Alexandre Herculano, esboçado em 1840, mas publicado oito anos depois, que constitui o segundo volume do Monasticon, retomando, portanto, a problemática ético-religiosa do celibato que já inspirara Eurico, o Presbítero. A intriga, que decorre no reinado de D. João I, em pleno período de convulsões políticas, gira em torno de Frei Vasco, um cavaleiro que se fez monge, mas em quem o hábito não apagou os sentimentos de ódio e de vingança, movido por um duplo desiderato: castigar o seu rival, Lopo Mendes, que desposara a sua amada, Leonor, durante a sua ausência, e vingar a honra de seu pai e de sua irmã, Beatriz, ultrajados por um cavaleiro que se lhes apresentara sob uma falsa identidade.
Como referenciar: O Monge de Cister in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-14 18:53:49]. Disponível na Internet: