Odoacro (Reino Lombardo)

Odoacro foi Rei dos Hérulos entre 476 e 493. Pertencia a uma tribo germânica, mas, depois desta ter sido destruída pelos Ostrogodos, coloca-se ao serviço dos Romanos. Tornou-se um dos chefes da guarda germânica do imperador. Participou numa revolta que colocou no trono Rómulo Augústulo, em 475. Como os soldados germânicos não obtiveram as terras que lhes haviam sido prometidas, Odoacro enceta uma nova revolta que provocou a queda de Rómulo e entregou as insígnias imperiais a Zenão, imperador do Oriente, declarando-se governador de Itália em 476. Este golpe de Estado marcou o final do Império do Ocidente. Tomou para si o título de Patrício e iníciou a árdua tarefa de organizar o país. Começou por anexar a Sicília e procurou proteger o Norte da península com uma política de boa vizinhança com os Visigodos da Gália e com a ocupação da Dalmácia.
Todo o poder alcançado por Odoacro começava a preocupar Zenão, que pede a Teodorico, Rei dos Ostrogodos, para ocupar o território. Odoacro é obrigado a retirar-se para Ravena depois de vencido em Verona e Isonzo. Aqui resistiu durante três anos, mas acabaria por capitular e pouco depois foi assassinado por Teodorico num banquete, em 493.
Como referenciar: Odoacro (Reino Lombardo) in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-18 15:42:10]. Disponível na Internet: