olfato

O olfato fornece-nos informação acerca das moléculas da atmosfera envolvente. É utilizado principalmente para localizar os alimentos e controlar a vida social e sexual. Muitos animais têm o sentido do olfato mais desenvolvido do que qualquer dos outros.
O sentido do olfato reside nas fossas nasais, que estão revestidas no seu interior por uma membrana mucosa. A maior parte da mucosa é de cor rosada, devido à sua abundante vascularização. Uma pequena parte que recobre a parte superior das fossas nasais é de cor amarelada, e aí existem terminações nervosas que recolhem as sensações olfativas. As células olfativas distribuem-se entre células epiteliais, que lhes servem de suporte. Apresentam um prolongamento até ao exterior e são excitáveis pelos estímulos.
Para que uma substância possa estimular o sentido do olfato é necessário que seja volátil. Só desta maneira atinge a profundidade das fossas nasais e é percebida como cheiro. Quando uma sensação é muito persistente, o olfato acaba por fatigar-se e deixa de a perceber, ainda que possa detetar outro cheiro, por muito fraco que este seja.
A capacidade olfativa do Homem é muito pequena, comparada com a dos outros mamíferos.
Como referenciar: olfato in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-05-25 20:46:14]. Disponível na Internet: