Olga Gonçalves

Poeta, ficcionista e tradutora (traduziu, entre outros autores, Simone de Beauvoir) nascida em 1929, em Luanda, e falecida a 3 de abril de 2004. Frequentou a Universidade de Londres, foi professora de Inglês e colaboradora da Academia de Ciências de Lisboa. Estreou-se como poetisa, com o livro Movimento (1972), mas firmou-se como autora de ficção em romances de questionamento sobre a realidade sociológica coletiva. Essa dimensão documental, focalizando frequentemente o contexto histórico e social do Portugal pós-revolucionário, subverte a relação entre ficção e realidade através da apropriação da linguagem da formação social a que pertencem as personagens, explorando toda a criatividade da oralidade e da linguagem quotidiana, convertidas em matéria fundamental da escrita, como sucede em A Floresta em Bremerhaven (1975, Prémio Ricardo Malheiros), ou em Mandei-lhe uma Boca (1977). Nos romances posteriores, nos anos de 80 e 90, como Eis uma História de 1992, a autora confirma as dimensões de indagação autorreferencial dos mecanismos de funcionamento estético e de utilização da linguagem simultaneamente como matéria de transgressão e de meio de acesso à identidade e problematização de segmentos da sociedade portuguesa poucas vezes visados pela novelística mais recente, como figuras do povo, o adolescente ou o emigrante.
Como referenciar: Porto Editora – Olga Gonçalves na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-09-27 05:01:54]. Disponível em