Óscar Acúrcio

Ator e assistente de realização, de nome completo Óscar Acúrcio Pereira, nascido a 7 de agosto de 1916, em Lisboa, e falecido a 29 de março de 1990. Abandonou os estudos para se dedicar ao cinema, iniciando-se em 1935 como assistente de exteriores. Nessa condição, colaborou em filmes como Os Fidalgos da Casa Mourisca (1938), Ala-Arriba (1942), A Mantilha de Beatriz (1946), Camões (1946), Amanhã Como Hoje (1948) e Heróis do Mar (1949). Em 1950, frequentou um estágio em Roma para técnicos de cinema, mas já havia decidido profissionalizar-se como ator. Ocupara papéis secundários nos filmes João Ratão (1940), Cais do Sodré (1946), Os Vizinhos do Rés do Chão (1947), O Leão da Estrela (1947) e Três Espelhos (1947). Fez também teatro infantil como a peça Não Vale a Pena Ser Mau (1953) de Aníbal Nazaré, teatro de revista e tele-teatro para a RTP, como a célebre A Casa-Fronteira (1969) que interpretou ao lado de Raul Solnado, Mário Jacques e Barroso Lopes e que marcou o regresso de Artur Ramos à RTP. A sua última participação cinematográfica foi em A Maluquinha de Arroios (1970) ao lado de Ivone Silva e Fernanda Borsatti.
Como referenciar: Óscar Acúrcio in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2018. [consult. 2018-12-10 07:31:08]. Disponível na Internet: