P. J. Harvey

Cantora rock inglesa, Polly Jean Harvey nasceu a 9 de outubro de 1969, em Yeovil. Desde criança aprendeu a tocar guitarra e saxofone, o que a levou a integrar uma série de bandas durante a sua juventude.
Em 1991, formou o trio P. J. Harvey, com os músicos Steve Vaughn (baixo) e Robert Ellis (bateria) e, em conjunto, gravaram o seu primeiro single, intitulado «Dress», para a editora independente Too Pure.
O sucessor de «Dress» foi «Sheela-Na-Gig», mais um single fortemente aclamado pela Imprensa britânica e que antecedeu a chegada do álbum de estreia da cantora às lojas. Dry (1992) foi muito bem recebido, não só no Reino Unido, como em todo o Mundo, especialmente nos Estados Unidos. Foi incluído em várias listas dos melhores álbuns do ano, elaboradas por publicações como o New York Times e a Rolling Stone, tendo esta última inclusivamente destacado a cantora como "Melhor Escritora de Canções" e "Melhor Vocalista Feminina". A ligação de P. J. Harvey à editora Island Records teve início em 1993 e prolongou-se por vários anos. Nesse ano, chegou às lojas Rid of Me, um disco cuja promoção foi apoiada por uma digressão mundial, que resultou num aumento significativo do número de fãs da cantora. No fim do ano, P. J. decidiu desfazer o trio com quem tinha trabalhado até então, com o intuito de colaborar com outros músicos.
A edição de 4-Track Demos (1993) marcou a sua estreia a solo. O registo contou com um total de 14 canções, composto por uma mistura de material nunca antes editado e algumas maquetas de Rid of Me.
O seu terceiro registo de originais foi editado em 1995. Intitulado To Bring You My Love, o disco revelou-se um trabalho eclético, quase todo da responsabilidade da cantora que, para além de ter dado voz ao álbum, tocou guitarra e ficou responsável pela percussão e pelas teclas. Para além disso, contou com a colaboração de músicos como John Parish, Eric Drew Feldman e Joe Gore, conhecido pelo seu trabalho realizado para Tow Waits.
Na digressão que sucedeu à edição do álbum, P. J. Harvey passou a adotar uma presença muito teatral em palco, o que faz dos seus espetáculos momentos intensos, tanto para a própria como para os fãs. Nomeada para dois prémios Grammy, a cantora foi, em 1995, considerada pelas revistas Spin e Rolling Stone como a "Artista do Ano", do mesmo modo que To Bring You My Love foi considerado por muitas publicações um dos melhores discos do ano.
Is This Desire? surgiu em 1998 e contou novamente com a colaboração dos reincidentes Parish, Gore e Feldman, bem como de Mick Harvey, dos Bad Seeds (banda de suporte a Nick Cave) e Rob Ellis, da formação original da banda de P. J. Harvey. Mais uma vez, a cantora vê-se nomeada para os prémios Grammy com este trabalho, para além de ter sido a primeira artista a ser nomeada três vezes para o Mercury Music Prize.
Em outubro de 2000 é lançado Stories From the City, Stories From the Sea. O título reflete a dupla inspiração de que a cantora usufruiu para compor os 12 temas do álbum, escrito durante o ano de 1999, entre Nova Iorque e Dorset, reunindo em si os dois universos contraditórios que são o meio urbano e o rural.
Thom Yorke colabora com P. J. Harvey em "This Mess We're In", um tema que a cantora escreveu de propósito para o vocalista dos Radiohead, que participa também nos coros de «One Line» e «Beautiful Feeling».
O muito aguardado regresso da cantora aconteceu em 2004, com o álbum Uh Huh Her. O single "The Letter" prometia reforçar o estatuto de PJ Harvey como ícone do rock-alternativo cru e simples.
Como referenciar: P. J. Harvey in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-15 06:57:24]. Disponível na Internet: