Padronização do Urbanismo

A estrutura urbanística das cidades romanas tentava obedecer à regra da grelha regular cortada pelo cardo (via que se desenvolvia entre os pontos cardeais Norte e Sul) e pelo decumano (eixo que se intersetava no centro do anterior, mas na direção Este-Oeste), sendo contudo a origem de cada cidade condicionadora do seu desenvolvimento. Assim, as origens mais comuns são as derivadas de acampamentos militares romanos (como Timgad, na Argélia), ou de povoações nativas pré-existentes à romanização, ou de cidades helénicas. No primeiro género, no ponto de interseção do cardo, eixo Norte-Sul, e do decumano, eixo Este-Oeste, situava-se usualmente o fórum rodeado pela basílica, pela cúria e pelos templos. No referente às povoações indígenas, o procedimento era normalmente tentar regularizar o traçado através da linearidade das ruas e colocando os fóruns, de planta inflexivelmente geométrica, em locais estratégicos. Aquelas de raiz grega, apesar da tentativa de imposição do traçado linear romano, pertenciam a uma civilização já urbanisticamente evoluída não sendo por isso tão maleáveis a alterações, conservando a autenticidade menos organizada do seu carácter.
Como referenciar: Padronização do Urbanismo in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-24 18:39:57]. Disponível na Internet: