Palácio dos Estaus

O palácio dos Estaus situava-se onde se ergue, desde o século XIX, o teatro D. Maria II, no topo Norte do Rossio. Mandado construir em 1449, pelo regente D. Pedro, o paço dos Estaus (que significava pensão de forasteiros) foi sede da Inquisição em Lisboa (denominada "Casa de Despacho da Santa Inquisição"), sede da Regência e do Governo Provisório, Escola Normal, Câmara dos Pares e Intendência-Geral da Polícia.
O palácio dos Estaus, ardido em 1836, deu lugar ao Teatro D. Maria II, inaugurado em 1846, que também ardeu em 1964, sendo mais tarde reconstruído e reaberto a 11 de maio de 1978
Quando José Saramago, em Memorial do Convento, conta o voo de Bartolomeu Lourenço de Gusmão e dos seus ajudantes Baltasar e Blimunda, diz que os familiares do Santo Ofício "vão na direção do Rossio, do palácio dos Estaus, a informar que fugiu o padre a quem iam buscar para o cárcere".
Como referenciar: Palácio dos Estaus in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-09 05:33:27]. Disponível na Internet: