Artigos de apoio

Palácio dos Papas de Avinhão
O Palácio dos Papas de Avinhão é um edifício complexo e ao mesmo tempo sóbrio, que representa a transição de uma residência fortificada para um palácio senhorial. A parte mais antiga deste edifício, o Palácio Antigo, foi encomendada pelo Papa Bento XII a Pierre Poisson, e a parte mais moderna, o Palácio Novo, foi uma obra dirigida por Jean Loubières de Tarascon, o arquiteto do Papa Clemente V.
A corte pontifícia deixara Roma no início do século XIV (1309), só voltando à cidade em 1377, devido a uma alteração de conjuntura política, e veio estabelecer-se em Avinhão, no perímetro das terras do duque de Anjou, rei de Nápoles, em 1376.
Muitos pintores italianos seguiram a corte de Avinhão, como Simone Martini e o mestre anónimo autor dos frescos da caça e da pesca, destinados à decoração do palácio construído por Clemente VI, papa entre 1342 e 1352, um aristocrata francês que se veio a tornar um dos mais faustosos e aparatosos papas do pontificado de Avinhão.
Está localizado no centro histórico de Avinhão classificado como Património Mundial pela UNESCO.
Como referenciar: Palácio dos Papas de Avinhão in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2017. [consult. 2017-06-29 15:16:39]. Disponível na Internet: