Palácio Médici-Riccardi, Florença

O Palácio Médici-Riccardi, em Florença, foi construído entre 1444 e 1464 sob os planos de Michelozzo a pedido de Cosme de Médicis, o Velho. Serviu de residência à sua família até 1540. Posteriormente foi alargado e alterado pela família Riccardi que o adquiriu quando os Médicis se instalaram no Palácio Pitti.
O seu arquiteto foi discípulo e colaborador de Brunelleschi e Donatello e a sua vertente de escultor-decorador não o impediu de se concentrar exclusivamente no trabalho arquitetónico do palácio. Seguiu a tipologia medieval, concebendo um cubo centrado por um pátio aberto, como era comum nos palácios florentinos. Esta era a zona mais adornada dos edifícios. Na fachada o arquiteto foi mais inovador, introduzindo o almofadado dos silhares, cujo relevo vai diminuindo da planta baixa para o último piso. Esta verticalidade de sobreposição de registos contrapõe-se à horizontalidade sugerida pelas fileiras de janelas de ajimez que marcam os dois pisos superiores.
Tornou-se uma referência para as grandes residências urbanas do Renascimento.
Com os palácios Pitti e dos Uffizi, a Basílica de S. Lourenço e a catedral, faz parte de uma área classificada Património Mundial pela UNESCO em 1982 e designada Centro Histórico de Florença.
Como referenciar: Porto Editora – Palácio Médici-Riccardi, Florença na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-12-09 05:04:17]. Disponível em