Pangeia

Os geólogos A. L. Wegener (1880-1930) e Eduard Suess (1831-1914), baseados na semelhança dos contornos dos continentes africano e americano, admitiram que todos os atuais continentes estiveram integrados num enorme supercontinente que denominaram Pangeia (palavra que significa "toda a Terra"). Os atuais dados paleomagnéticos e geológicos tornam difícil, contudo, o ajustamento do Norte de África com a América do Norte, sobretudo nas regiões das Caraíbas e do Mediterrâneo.
Atualmente, aceita-se ter existido um grande oceano, o Mar de Tethys, que permitiu distinguir na Pangeia dois grandes blocos continentais, a Gondwana na parte sul e a Laurásia na parte norte. Em 1915, Wegener admitiu que há cerca de 200 milhões de anos este supercontinente teria começado a dividir-se em frações mais pequenas, que migraram para o local onde hoje se encontram (teoria da deriva dos continentes).
A conformidade das costas africana e americana, a semelhança entre os climas antigos, o registo fóssil e a estrutura das rochas fornecem argumentos que apoiam a hipótese de que todos os continentes, hoje separados, já estiveram unidos.
Como referenciar: Pangeia in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2021. [consult. 2021-01-26 10:11:06]. Disponível na Internet: