paridade do poder de compra

A avaliação do nível de vida das populações e dos países é uma temática complexa, enquadrada no estudo dos graus e processos de desenvolvimento das economias a nível mundial. Concretamente, torna-se necessário, mas por vezes difícil, proceder à comparação internacional dos níveis de desenvolvimento. Para esse efeito são utilizados diversos indicadores e variáveis, como sejam: o produto ou rendimento dos países por habitante ou per capita (medido normalmente através do Produto Interno Bruto - PIB, per capita ou Produto Nacional Bruto - PNB, per capita); a esperança de vida à nascença; a percentagem de população rural, etc.
No que respeita aos indicadores referenciados a unidades monetárias, como é o caso do PIB e PNB per capita, colocam-se no entanto problemas a nível da comparação internacional das performances dos vários países. De facto, a utilização direta das taxas de câmbio oficiais aos valores daqueles indicadores no sentido de os colocar numa única unidade de medida (ex.: dólares americanos) faz com que não seja levada em conta a questão dos preços internos dos países.
Assim, e tendo em conta que a medida dos níveis de vida deve partir, não dos valores monetários diretos dos rendimentos per capita, mas do efetivo poder de compra que resulta da utilização desses rendimentos pelas pessoas, torna-se necessário estabelecer uma ponderação a esse fator por forma a tornar a comparação internacional mais correta. É neste contexto que aparece a técnica de paridade do poder de compra, que tem como objetivo a possibilidade de avaliar um determinado país ou população através da quantidade de bens e serviços que um cidadão médio a ela pertencente pode adquirir com o rendimento que aufere.
O facto de esta análise incluir a questão dos preços que, particularmente no que se refere aos bens e serviços internos (não sujeitos à transação internacional), variam muito de país para país, estando mais adequados à partida aos rendimentos dos cidadãos do que os externos ou sujeitos ao estabelecimento de preços internacionais.
Na prática, a utilização da paridade do poder de compra traduz-se no cálculo de um coeficiente que, aplicado a variáveis como o PIB e PNB per capita, permite uma comparação internacional muito mais fiável. Esse coeficiente parte do estabelecimento de relações de preço para os vários bens e serviços, após o que se procede ao cálculo das médias dessas relações de preços que, por último, são agregadas e ponderadas pela repartição das despesas nacionais.
A técnica da paridade do poder de compra é utilizada por muitas instituições que elaboram e publicam dados de carácter internacional, como a OCDE e o FMI.
Como referenciar: Porto Editora – paridade do poder de compra na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-21 00:11:00]. Disponível em