pastorícia

O ato de levar os animais a pastar está relacionado com a domesticação de animais e a sedentarização humana.
Quando o Homem se tornou sedentário, a pastorícia revelou-se uma tarefa importante na sua fixação. Julga-se que a domesticação e a formação de rebanhos se iniciaram ainda antes da sedentarização. A pastorícia foi-se desenvolvendo mais gradualmente do que a agricultura. Em 1910, encontraram-se, em França, caninos de cavalo desgastados devido ao seu comportamento quando presos. Esses caninos foram datados como tendo aproximadamente 30 mil anos. Em 1966 descobriram-se, também em França, gravuras, com 15 mil anos, de cabeças de cavalos com arreios, o que prova a sua domesticação.
A pastorícia permitiu o abandono gradual da caça e constituiu também um complemento desta. Mais próximo dos animais, sem preocupações de alimentação, o Homem pode dedicar-se a outras tarefas, como o fabrico de utensílios de vestuário. Os animais serviam também como matéria-prima para certas utilizações. Desde as peles aos cascos, ossos e dentes, tudo era utilizado.
A sedentarização, que surge na sequência da descoberta da agricultura e da pastorícia, ocasionou a divisão de tarefas e esta vai ditar a divisão social e de poder, aliadas também à produção de riqueza.
Como referenciar: pastorícia in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-06-25 04:33:27]. Disponível na Internet: