Pat Boone

De nome completo Charles Eugene Patrick Boone, nasceu a 1 de junho de 1934, em Jacksonville, Florida, nos EUA.
Considerado ídolo dos adolescentes nas décadas de 50 e 60 (primeira metade), vendeu mais que qualquer artista da sua geração (excetuando Elvis Presley). Na sua época, Pat Boone constituiu-se como o artista que representou os valores da América conservadora, por oposição à imagem de rebeldia que tinha em Elvis Presley o seu melhor paradigma. A figura sem mácula, de sorriso permanente, e defensora dos valores cristãos e familiares que Pat Boone transmitia tornou-se exemplo para a adolescência norte-americana.
Em 1954, fez as suas primeiras gravações para uma pequena editora, mas sem obter sucesso. A aparição em programas televisivos de grande audiência como o Ted Mack Amateur Hour ou Arthur Godfrey's Talent Scouts importaram grandes acréscimos de popularidade. Em 1955 gravou os seus primeiros sucessos: a versão da canção de Fats Domino, "Ain't That A Shame", e o tema de Otis Williams And The Charms, "You Light Up My Life". Nos anos seguintes construiu a sua carreira tendo por base versões de temas de outros artistas, nomeadamente Little Richard ("Tutti Frutti" e "Long Tall Sally"), The Five Keys ("Gee Whittakers"), Joe Turner ("Chains Of Love"), Ivory Joe Hunter ("I Almost Lost My Mind"), The El Dorados, e The Flamingos.
Entre 1956 e 1963 Boone gravou um grande número de êxitos, incluindo "Friendly Persuasion", "Don't Forbid Me", "Love Letters In The Sand", "April Love", "Moody River", "Speedy Gonsalez", e "Love Letters In The Sand".
No cinema, participou em quinze filmes, que também produziram alguns sucessos musicais. Na televisão apresentou o The Pat Boone Chevy Showroom entre 1957 e 1960. Escreveu alguns livros dirigidos aos adolescentes americanos. O seu primeiro livro, Twixt Twelve And Twenty, vendeu mais de um milhão de cópias.
A invasão britânica, nomeadamente a ascensão dos Beatles, foi decisiva para o declínio da sua popularidade nos anos 60.
Na década de 70, Boone dedicou-se à gravação de material gospel e country, chegando a gravar com a sua família sob a denominação de Boone Family Singers. Os anos 80 e 90 foram de algum recolhimento mediático.
Em 1997 regressou com No More Mr. Nice Guy, uma coletânea de versões de temas heavy-metal que surpreendeu o meio musical. O trabalho incluiu temas como "Smoke On The Water" (Deep Purple) e "Stairway To Heaven" (Led Zeppelin). A sua aparição na cerimónia de entrega dos Prémios da Música Americana vestido em couro preto e usando tatuagens temporárias causou escândalo entre os seus admiradores.
Como referenciar: Porto Editora – Pat Boone na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-16 07:18:48]. Disponível em