pato (ornitologia)

Designação de aves da família dos Anatídeos. O pato (Anas platyrhynchos), também conhecido por pato-real, com um comprimento de cerca de 58 centímetros e uma envergadura de 95 centímetros é o pato mais comum, com maior distribuição geográfica, o maior e mais pesado dos patos da família dos Anatídeos. O seu peso varia entre os 750 e 1400 gramas. É um pato de superfície ou nadador sociável exceto na época da reprodução. É uma espécie pouco afetada pela população humana e que se encontra em todas as águas interiores, embora prefira as de vegetação abundante. Alimenta-se de vegetais e plantas aquáticas, grãos e sementes. O macho tem a cabeça verde, com colar branco e peito castanho, a parte ventral é acinzentada e a cauda branca demarcada de negro, com duas penas enroladas sobre si mesmas. A fêmea não tem esta plumagem colorida e é de cor pardacenta. As patas são de cor alaranjada.
Os patos-reais acasalam-se no outono no território onde vão passar o inverno. O macho é cortejado e escolhido pela fêmea conservando-se o casal unido todo o inverno. Nidificam em janeiro, mas principalmente durante todo o mês de fevereiro. Constroem o ninho que é um buraco no solo forrado de caules, folhas, penas e penugem. Raramente fazem o ninho numa árvore. A postura é de sete a catorze ovos incubados pela fêmea durante quatro semanas. Os juvenis, que a mãe logo conduz à água, nascem cobertos de plumagem parda e amarelada.
Poucas horas depois de nascer já debicam e tentam capturar larvas e mosquitos. As crias crescem lentamente e com dois meses são capazes de voar.
Como referenciar: Porto Editora – pato (ornitologia) na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-11-28 17:53:08]. Disponível em