Patrícia Cornwell

Escritora norte-americana, Patricia Carroll Daniels, nascida a 9 de junho de 1956, em Miami, nos Estados Unidos da América, tornou-se conhecida no mundo das letras policiais com o nome Patricia Cornwell.
Filha de uma escritora e conhecida abolicionista (Harriet Beecher Stowe), Patricia teve uma infância difícil, queixando-se de abusos por parte do pai, o que aliado a uma depressão da mãe levou a que fosse entregue aos cuidados da assistência social. Nesta altura já vivia em Montreat, na Carolina do Norte.
Depois se licenciar em Inglês, Patricia Daniels casou com um dos seus professores e, mais tarde, dedicou-se à escrita. Em 1979, começou a trabalhar como jornalista no The Charlotte Observer, onde se especializou na cobertura de histórias de crimes. Cinco anos mais tarde, mudou de emprego e passou a trabalhar num gabinete de exames forenses, onde esteve até 1990. Durante esse período, escreveu três romances que foram recusados por várias editoras. Finalmente em 1991, já com o nome Patricia Cornwell, publicou Postmorten, que se tornou um grande sucesso e veio a ser publicado em Portugal com o mesmo título. Postmorten apresentou a sua personagem mais famosa, a Dra. Kay Scarpetta, cientista forense protagonista de inúmeros dos seus livros posteriores, com quem a autora diz ter muitas coisas em comum. Com essa obra conquistou os prémios Edgar, Creasey, Anthony e Macavity, assim como o Prémio Francês do Romance de Aventura. Dois anos mais tarde, Cornwell ganhou o Gold Dagger graças ao romance Cruel and Unusual (Cruel e Invulgar). Para além da série de obras com Scarpetta como protagonista, que tem vindo a ser regularmente editada e Portugal, Cornwell escreveu outra série policial mais ligeira, onde Andy Brazil, é protagonista (também com edição portuguesa), assim como diversos livros de culinária de cozinha italiana.
Em 2002, Patricia Cornwell reclamou, através de uma obra de não ficção, Portrait of a Killer: Jack the Ripper – Case Closed, ter resolvido o mistério da identidade do famoso Jack, o Estripador, atribuindo-a ao pintor Walter Sickert.
Exteriormente à sua carreira de escritora, Patricia Cornwell fundou o Instituto de Ciência e Medicina Forense da Virginia e ofereceu diversas bolsas para estudos forenses e de escrita criativa.
Como referenciar: Patrícia Cornwell in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2018. [consult. 2018-12-09 19:07:22]. Disponível na Internet: