Paul Whiteman

Chefe de orquestra de jazz norte-americano nascido a 28 de março de 1891, em Denver, no Estado do Colorado, nos Estados Unidos da América.
Criado num ambiente musical, foi violinista da Orquestra Sinfónica de Denver, entre 1912 e 1915 e da Orquestra Sinfónica de São Francisco, entre 1915 e 1918. Após um curto período na Marinha americana (1918), criou uma orquestra de salão (da qual foi dirigente), que passou a atuar no prestigiado Hotel Fairmont, em São Francisco, em 1919. Um ano depois, criou a Paul Whiteman and his Orquestra, conseguiu contratos para atuar com a orquestra em Atlanta e Nova Iorque, realizou uma tournée na Europa, em 1923, e gravou vários discos. Tornou-se famoso não só por ser o líder de uma banda branca, como também pelo pioneirismo musical, pois o grupo tocava jazz num estilo melódico doce e agradável e fazia uma abordagem sinfónica dos temas populares, o que contrastava com a irreverente improvisação do tradicional jazz. Alguns artistas criticaram o seu estilo de música, pois consideravam que os músicos brancos se limitavam a popularizar um género musical cuja raiz era afro-americana.
Em 1924, iniciou o período de "jazz sinfónico" ao estrear a Rhapsody in Blue, obra que Whiteman encomendou a George Gershwin. A partir de então, Paul Whiteman, que estava rodeado de músicos importantes, como Bix Beiderbecke, Eddie Lang, Steve Brown, Gussie Mueller, Jack Teagarden, entre outros, ficou conhecido como King of Jazz (rei do jazz), denominação polémica que reflete, para uns, um certo tipo de jazz, para outros, a ignorância do público daquele tempo, pois esse título pertenceria a Louis Armstrong.
Liderou a sua orquestra até meados dos anos 40, altura em que foi trabalhar, até à sua reforma, como diretor musical da ABC Radio Network, em Nova Iorque.
Da sua produção discográfica salienta-se The Japanese Sandman (1920), que vendeu mais de 2 milhões de exemplares, Jazz (1926), Records for the Millions (1948), Featuring Bix Beiderbecke (1955) e Hawaiian (1966). Para além disso, participou em alguns filmes, como The King of Jazz (1930), Strike up the Band (1940), Atlantic City (1944) e Rapsody in Blue (1945), entre outros. Whiteman, que teve grande influência na formação doutros grupos, incentivou a produção de obras para concertos de jazz ao criar o Prémio Whiteman.
Paul Whiteman, que pertenceu à maçonaria, faleceu a 29 de dezembro de 1967, em Doylestown, no Estado da Pensilvânia, vítima de colapso cardíaco.
Como referenciar: Porto Editora – Paul Whiteman na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-28 12:21:52]. Disponível em