Paz de Augsburgo

Este tratado marcou temporariamente o fim da luta travada entre católicos romanos e protestantes luteranos na Alemanha do século XVI, durante o reinado de Carlos V.
Este acordo, datado de 25 de setembro de 1555, foi feito pela Dieta do Sacro Império Romano-Germânico, mas Carlos V, apesar de ter proclamado este parlamento, recusou-se a participar nele. O seu irmão Ferdinando I, depois coroado imperador do império romano, foi porém autorizado a celebrar os compromissos necessários ao restabelecimento da paz.
Por este tratado de paz ficava consagrado o estatuto legal do Protestantismo na Alemanha, permitindo a possibilidade de cada líder de um estado alemão escolher a sua religião, ficando os seus súbditos obrigados a aceitar a sua escolha.
Este tratado, no entanto, não conseguiu acabar com as disputas entre os dois credos cristãos, mas, embora não tenha satisfeito nenhuma das partes em conflito, conduziu a um período de cerca de cinquenta anos de paz religiosa.
Como referenciar: Paz de Augsburgo in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-20 03:52:35]. Disponível na Internet: