Pearl Jam

Quinteto originário de Seattle, a sua formação inicial (1990) incluiu Eddie Vedder (n. 23/12/66), Stone Gossard (n. 20/07/66), Mike McCready (n. 05/04/65), Jeff Ament (n. 10/03/63) e Dave Krusen. Surgiram das cinzas dos Mother Love Bone, aos quais pertenciam Gossard e Ament, para se tornarem na banda rock norte-americana mais popular dos anos 90.
Estrearam-se em 1991 com o álbum Ten. Temas como "Jeremy", "Even Flow", "Black" e "Alive" tornaram-se hinos de uma geração rock cujas referências apontavam para grupos como os Soundgarden, os Nirvana ou os Red Hot Chili Peppers. Pouco depois da edição de Ten, Krusen saiu do grupo, sendo substituído por Dave Abbruzzese.
O percurso musical do grupo incluiu os álbuns Vs. (1993), Vitalogy (1994), que marcou a substituição de Abbruzzese por Jack Irons (n. 18/07/63), No Code (1996), Yield (1998), o registo ao vivo Live On Two Legs (1998) e Binaural (2000). Do seu longo catálogo de sucessos destacam-se os temas "Go", "Rearviewmirror", "Elderly Woman Behind The Counter In A Small Town", "Daughter", "Better Man", "Spin The Black Circle", "Nothing Man", "Who You Are", "Off He Goes", "Hail Hail" e "Light Years".
Em 1992 participaram na banda sonora do filme Singles de Cameron Crowe com os temas "State Of Love And Trust" e "Breath". No mesmo ano gravaram o espetáculo MTV Unplugged.
Em 12 de janeiro de 1993, Eddie Vedder juntou-se a Robbie Krieger, Ray Manzarek e John Densmore no evento de indução dos The Doors ao Rock And Roll Hall Of Fame para uma atuação única de alguns sucessos da banda de Jim Morrison.
1994 marcou uma batalha legal entre a banda e a agência de espetáculos Ticketmaster: o grupo discordou do aumento dos preços dos bilhetes nos seus espetáculos e pediu a investigação da empresa pelas entidades oficiais. Este conflito originou uma diminuição dos espetáculos do grupo.
Em 1995 o grupo desenvolveu estreita colaboração com Neil Young, participando na gravação integral do álbum MirrorBall.
Os membros da banda desenvolveram projetos paralelos ao longo dos anos. Em 1993 Gossard editou Shame, único álbum do seu grupo, os Brad. Em 1995 Vedder e McCready estiveram em atividade com os seus projetos, os Hovercraft e os Mad Season respetivamente. Ament e os 3 Fish lançaram em 1996 um álbum homónimo.
Em 1996 visitaram o nosso país para dois concertos no Pavilhão de Cascais, a 24 e a 25 de novembro. No dia 23 de maio de 2000 voltaram a atuar em Portugal, no estádio do Restelo. Deste concerto saiu o álbum ao vivo Lisbon, Portugal - May 23/2000.
Com a mesma filosofia, o grupo optou por lançar uma série de discos ao vivo, registando momentos de atuações em diversos países.
Após dois anos sem gravações de estúdio, a banda editou Riot Act (2002). O disco mereceu excelentes críticas, apesar de não ter tido o impacto comercial de outras edições do grupo.
No ano seguinte, foi lançada a coletânea Lost Dogs, um conjunto de B-Sides e raridades, uma pequena preciosidade para os admiradores da banda. Nesta edição, uma nota de destaque para o tema "Yellow Ledbetter", desde sempre um dos preferidos do público e que não tinha ainda sido editado em disco. Mais uma vez, a crítica acolheu muito bem o disco. O registo veio provar que os Pearl Jam se mantinham na crista da onda da popularidade, merecendo o apoio de uma enorme legião de fãs, permanecendo como a última banda do movimento da geração X, o último marco do grunge dos anos 90.
Como referenciar: Pearl Jam in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-24 06:37:28]. Disponível na Internet: