pedras preciosas

Uma pedra preciosa consiste num mineral cristalino que se distingue pela sua beleza, pureza e cor, transparência, brilho, dureza e índice de refração da luz. As pedras preciosas mais conhecidas são diamante, corindo, safira, rubi, esmeralda, berilo, água-marinha, zircão, turmalina, topázio, opala nobre, espinela e crisólito oriental.
De modo incorreto, denominam-se pedras semipreciosas os minerais cristalinos não tão valiosos e de menor dureza, como, por exemplo, o quartzo hialiano (cristal de rocha), ametista, topázio defumado, citrino, quartzo rosa, calcedónia, crisopraso (variedade de ágata), cornalina, ágata, ónix, olho-de-gato, jaspe e heliotropo, todos eles de cor, formas e transparências diferentes, assim como a malaquite, pedra da lua, lápis-lazúli, rodonite e algumas hematites.
Modernamente já se fabricam pedras preciosas sintéticas em fornos elétricos a elevadas temperaturas, à base de material fundido que se obtém de resíduos de pedras preciosas. No caso do corindo e do cristal de rocha, entre outros, as pedras sintéticas são completamente idênticas aos produtos naturais (excetuando incrustações ou impurezas).
As pedras preciosas utilizam-se em joalharia e em peças para instrumentos de precisão e ainda na fabricação de abrasivos.
Como referenciar: pedras preciosas in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-07-23 20:56:58]. Disponível na Internet: