Pelourinho de Bragança

Na zona histórica da cidade de Bragança localiza-se um dos símbolos maiores do municipalismo português: o pelourinho. Este padrão territorial - cujo valor simbólico estava ligado à atribuição de foral e à autonomia jurisdicional concelhia - localizava-se num lugar público, regra geral no centro cívico do burgo.
No caso específico do pelourinho brigantino, este erguia-se originalmente nas proximidades da Casa da Câmara - a Domus Municipalis medieval de Bragança. Em 1860, o pelourinho terá sido transferido para o presente espaço do recinto amuralhado da cidade, no mesmo lugar onde, anteriormente, se erguia a demolida Igreja de Santiago.
Original e notável pelourinho medieval, este símbolo do municipalismo de Bragança é concebido em granito, apresentando uma base octogonal escalonada em quatro degraus. Nesse estrado foi colocada - pensa-se que aquando da transferência do pelourinho para o seu atual local - a Porca da Vila, possante e desgastada escultura zoomórfica em granito com cerca de dois metros de comprimento, obra que testemunha um antigo culto dos povos pré-romanos. Assentando sobre o seu dorso eleva-se uma coluna cilíndrica, medindo cerca de 6,40 metros de altura por 30 centímetros de diâmetro.
Este fuste liso é encimado por um capitel em forma de cruz, cujos braços se apresentam esculpidos com baixos-relevos geométricos e zoomórficos, terminando em carrancas representando uma ave, um cão, uma figura humana e alguns motivos florais. No topo deste capitel destaca-se um exótico sileno, figura mitológica híbrida, segurando um escudo com as armas da cidade de Bragança.
Como referenciar: Pelourinho de Bragança in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-20 17:04:22]. Disponível na Internet: