Pérmico

Intervalo de tempo geológico, compreendido entre -286 e -245 milhões de anos, que é o sexto e último período da Era Paleozoica.
Neste período continuaram a existir grandes movimentos de placas tectónicas: o continente do norte, Laurásia, formado pelas atuais América do Norte, Gronelândia, Europa e Ásia, ligou-se ao continente do Hemisfério Sul, Gondwana, formado pelas atuais América do Sul, África, Índia, Austrália e Antártida, dando origem a um único supercontinente, Pangeia, estendendo-se de polo a polo. A grande glaciação que teve início no período Carbónico continuou durante o Pérmico, principalmente na parte sul de Gondwana, enquanto que no resto da Pangeia o clima era quente e seco, com extensas zonas áridas nas zonas tropicais e subtropicais. A Laurásia e Gondwana continuavam separadas no seu extremo oriental pelo Mar de Tétis e o resto da superfície terrestre estava coberta por um grande oceano chamado Pantalassa. A colisão dos continentes para a formação da Pangeia deu origem à formação das montanhas Apalaches na América do Norte e às Hercínicas na Europa e na Ásia, e também aos Urais quando um segmento da Sibéria Ocidental colidiu com a Laurásia.
As bacias de sedimentação referentes ao Pérmico são constituídas por depósitos marinhos e continentais, predominantemente arenitos, conglomerados, xistos, calcários dolomíticos, evaporitos de elevada importância económica (sal-gema, silvite, gesso), carvão, petróleo e cobre e encontram-se espalhados por todos os continentes. A sequência dos depósitos demonstra que o clima no Pérmico oscilou entre períodos quentes e frios. Os registos fósseis indicam que a vida neste período evoluiu sem grandes mudanças relativamente ao Carbónico: os invertebrados marinhos, principalmente braquiópodes, amonoides e bivalves são de grande importância para o reconhecimento dos depósitos deste período. Entre os vertebrados, os répteis evoluíram para três grupos distintos: os cotilossauros, os pelicossauros e os terápsides. As plantas desenvolveram-se a partir dos fetos do Carbónico e adaptaram-se aos terrenos secos e bem drenados. Iniciou-se o desenvolvimento das coníferas.
No entanto, no final do período, devido a uma alteração rigorosa do clima, muitas formas de vida extinguiram-se: as trilobites e as fusulinas desapareceram e os braquiópodes e os amonoides reduziram-se significativamente; a flora do sul de Gondwana desapareceu enquanto que as coníferas do Norte sobreviveram. Ainda hoje não há certeza sobre os acontecimentos que levaram a estas extinções em massa.
A designação Pérmico deriva da palavra Permo, nome de planície russa a oeste dos Urais.
Como referenciar: Pérmico in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-24 01:15:00]. Disponível na Internet: