peste

A peste é uma doença infeciosa aguda, altamente contagiosa e facilmente epidémica.
A sua origem deve-se a uma infeção grave, causada pelo bacilo Gram-negativo Yersinia pestis. Esta bactéria ocorre normalmente nos roedores selvagens e esquilos, passando aos ratos domésticos (Rattus rattus e Mus musculus) e lagomorfos (coelho e lebres). A transmissão ao Homem faz-se por meio de um vetor, as pulgas do rato - geralmente, Xenopsylla cheoppis -, que libertam o agente patogénico diretamente do seu tubo digestivo para a corrente sanguínea do Homem, quando picam um indivíduo.
A peste foi responsável por uma das epidemias mais violentas que afetou a Humanidade - a peste negra - no século XIV, dizimando quase um quarto da população europeia, num total de 25 milhões de pessoas. A doença tem um período de incubação de dois a cinco dias, surgindo uma inflamação e inchaço dos gânglios linfáticos, tremores, cefaleias, sonolência, fotofobia, vertigens, apatia, febre elevada, delírios, dores nas costas e membros, e ainda diarreia intensa.
A peste pode surgir sob três formas distintas: bubónica, pulmonar e septicémica.
A peste bubónica, forma mais frequente, caracteriza-se pelo surgimento de tumefações ganglionares dolorosas e supurativas nas axilas, pescoço e virilhas - bubões -, que pode evoluir para uma infeção generalizada, na fase final.
A forma pulmonar, mais rara, afeta os pulmões e é altamente transmissível e rapidamente mortal.
A peste septicémica dissemina-se muito rapidamente, formando petéquias negras extensas, conduzindo à morte, sem que ocorra a formação de bubões.
O aparecimento simultâneo das três formas originou uma rápida disseminação da peste por todo o continente europeu, durante o surto histórico do século XIV. A proliferação rápida desta pandemia estava na origem, também, das más condições das habitações, fracos ou ausentes hábitos de higiene corporal, ausência de um sistema de esgotos e uma proliferação muito elevada de roedores nas cidades e casas, o que facilitava a disseminação do vetor responsável pela transmissão da bactéria causadora da peste - as pulgas dos roedores.
As causas da peste permaneceram desconhecidas até ao século XIX. Sabe-se hoje que as pulgas podem permanecer infetadas vários meses, sendo a variante bubónica contagiosa apenas através do contacto com o pus do bulbão, ao contrário da respiratória, de contágio fácil por via aérea, através de partículas de expetoração.
A peste persiste ainda em alguns focos endémicos, em determinadas áreas da Índia, Ásia e África, ocorrendo também casos esporádicos no continente americano.
Como referenciar: peste in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-05-24 23:58:48]. Disponível na Internet: