Petra (IV a. C.-II d. C.)

Petra é uma palavra de origem grega, que designa a "Cidade da Pedra", uma antiga cidade da Arábia atualmente no Sudoeste da Jordânia. Esta foi a capital dos Nabateus, um povo árabe referido na Bíblia como os Sela, que viveram entre o século IV a. C. e o século II d. C. A cidade localiza-se num território entre o Mar Morto e o golfo de Ácaba, junto de um ponto de passagem obrigatória nas rotas caravaneiras de Gaza no mar Mediterrâneo, de Damasco e Elath no mar Vermelho e do Golfo Pérsico. Os romanos conquistaram a cidade em 106 a. C., integrando este território na província romana da Arabia Petrae. Nos séculos II e III esta continuou a desenvolver-se, só vindo a entrar em decadência quando a cidade de Palmira assumiu a sua importância comercial. No século VII foi a vez de os muçulmanos ocuparem Petra, mas no século XII foi recuperada pelos cruzados, embora já estivesse num adiantado estado de degradação. No século XIX (1812) foi redescoberta pelo explorador suíço Johann Burckhardt.
Petra era uma fortaleza impenetrável, que guardava belos monumentos integrados numa paisagem natural rochosa. Ao longo da sua ravina encontravam-se edifícios talhados na pedra como o templo Khaznet Firaoun, também conhecido como o Tesouro dos Faraós, e um teatro com capacidade para albergar cerca de 3000 espectadores. Nas montanhas estavam situados os túmulos. Num monte sobranceiro à cidade situa-se o túmulo de Aarão, o irmão mais velho de Moisés e sumo sacerdote dos hebreus. Atualmente corresponde à principal atração turística do país. Foi classificada como Património Mundial pela UNESCO.
Como referenciar: Petra (IV a. C.-II d. C.) in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-12 03:36:59]. Disponível na Internet: