Philbert Delorme

Arquiteto francês do Renascimento, Philbert Delorme ou De L'Orme, nasceu em Lyon, em 1515, e morreu em 1570, em Paris. Sendo filho de um mestre de obras lionês bastante afamado, interessou-se pelas teorias do arquiteto romano Vitrúvio e foi para Roma, em 1533, com o intuito de estudar os monumentos clássicos que na época estavam a ser redescobertos. Em Itália, conheceu a obra de vários arquitetos que vinham desenvolvendo um estilo de inspiração clássica sendo, mais tarde, o primeiro a introduzir estas novas conceções arquitetónicas em França.
Delorme não se limitou a imitar os mestres italianos mas desenvolveu uma interpretação pessoal das ordens clássicas tornando-se o impulsionador da arquitetura renascentista especificamente francesa.
O seu estilo novo chamou a atenção do príncipe e depois rei Henrique II, que lhe encomendou várias obras importantes entre as quais o túmulo do Rei Francisco I, o palácio da sua amante em Anet (1547-56) e a ampliação do Palácio de Fontainebleau, nos arredores de Paris (1548-58). Em 1558, Delorme perdeu o favorecimento real e dedicou-se a escrever manuais de arquitetura e construção, expondo as suas ideias e contribuindo para a divulgação do classicismo em França.
Em 1563, Catarina de Médicis encarregou-o da construção do Palácio das Tulherias em Paris que, como quase toda a sua obra, foi entretanto demolido.
A importância de Delorme não é só ter introduzido o estilo clássico em França como também ter sido dos primeiros arquitetos a adquirir um grande prestígio social.
Como referenciar: Philbert Delorme in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-11 14:47:27]. Disponível na Internet: