Philip K. Dick

Escritor norte-americano, Philip Kindred Dick nasceu a 16 de dezembro de 1928, na cidade de Chicago. Filho de um funcionário do governo federal, a sua irmã gémea morreu quase à nascença. Os seus pais divorciaram-se quando Philip contava quatro anos de idade.
Acompanhou a mãe na sua mudança para a Califórnia, onde estudou, ingressando na Escola Secundária de Berkeley, onde permaneceu até 1945. Matriculou-se então na Universidade da Califórnia, onde estudou Filosofia e Alemão, abandonando o curso para trabalhar como disc-jockey numa emissora de rádio, mantendo, ao mesmo tempo, uma loja discográfica.
Começou a escrever nesta época, publicando o seu primeiro conto de ficção científica na revista Planet Stories. Chegou a terminar alguns romances de índole autobiográfica, mas não conseguiu encontrar quem os editasse. Decidiu portanto dedicar-se inteiramente à ficção científica, convicto de que este género poderia melhor abarcar as suas especulações filosóficas. A sua primeira obra publicada foi Solar Lottery (1955). A ação da obra decorria no século XXIII, num tempo em que a democracia como forma de eleição foi substituída por uma sistema de lotaria que decide as funções dos indivíduos na sociedade. No entanto, vem-se a descobrir que a sorte está viciada.
Após o aparecimento de obras como Eye In The Sky (1956), Dr Futurity (1960) e Vulcan's Hammer (1960), Philip K. Dick conseguiu ser reconhecido como escritor, sobretudo com a publicação de The Man In The High Castle (1962). O romance recriava um mundo em que a Alemanha e o Japão venceram a Segunda Guerra Mundial.
Por ter mantido relações com o Partido Comunista norte-americano, o escritor foi alvo de cuidadosas investigações por parte do FBI e dos serviços secretos da Força Aérea Norte-Americana. A visão quase paranoica da realidade que Dick demonstrou em muitos dos seus trabalhos não seria portanto de todo infundada.
Inspirando-se em ideias do Budismo, Cabalismo, Gnosticismo e outras doutrinas herméticas, e combinando-as com certos aspetos das novas crenças na parapsicologia, extra-terrestres e perceção extrassensorial, o autor criou mundos alternativos nos quais acabou eventualmente por julgar viver. Consumindo drogas em excesso, alegou ter sido contactado em 1974 por uma inteligência alienígena.
Em 1968 publicou Do Androids Dream Of Electric Sheep?, obra que seria adaptada para o cinema em 1982 com o título Blade Runner. Philip K. Dick faleceu pouco depois da estreia do filme, a 2 de março de 1982 vítima de uma apoplexia.
No ano de 2002 apareceu a película The Minority Report, realizada por Steven Spielberg a partir do romance homónimo que o escritor havia publicado em 1956.
Como referenciar: Philip K. Dick in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-02-18 01:27:05]. Disponível na Internet: