Philip Kaufman

Argumentista e realizador norte-americano nascido a 23 de outubro de 1936, apaixonou-se pelo cinema ainda jovem quando viajou pela Europa e conheceu François Truffaut e Federico Fellini. Regressado aos Estados Unidos, começou a trabalhar na sua primeira obra: Goldstein (1965), uma sátira sobre os falsos profetas e a proliferação de seitas. Apesar de ser um filme de baixo orçamento, foi exibido no Festival de Cannes e venceu o Prémio da Crítica. O seu filme seguinte foi Fearless Frank (Luta Contra o Demónio, 1967) e marcou a estreia do ator Jon Voight, mas o filme passou quase despercebido comercialmente. Demorou então cinco anos a escrever e a dirigir o western Great Northfield Minnesota Raid (O Bando de Jesse James, 1972) protagonizado por Robert Duvall. Mas foi só na década de 80 que Kaufman se afirmou como realizador de créditos firmados ao assinar a sua obra-prima: The Right Stuff (Os Eleitos, 1983), uma saga sobre o nascimento do programa espacial americano, baseada num livro de Tom Wolfe e protagonizada por Sam Shephard, Ed Harris e Dennis Quaid. Apesar do êxito do filme, o realizador refugiou-se na Europa e aí filmou duas adaptações literárias: The Unbearable Lightness of Being (A Insustentável Leveza do Ser, 1987) e Henry and June (Henry e June, 1990). Desde então, dirigiu somente mais duas obras: Rising Sun (Sol Nascente, 1993) com Sean Connery e Quills (Quills - as Penas do Desejo, 2000), protagonizado por Geoffrey Rush.
Como referenciar: Philip Kaufman in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-09-29 01:22:29]. Disponível na Internet: