Philips

Fundada em 1891 na cidade de Eindhoven, na Holanda, pelo engenheiro Gerard Philips, a empresa tinha então como principal objetivo o fabrico de lâmpadas incandescentes e outros produtos elétricos.
Com o tempo e a orientação de Gerard Philips e familiares, a empresa tornou-se uma das maiores fabricantes de lâmpadas da Europa, ainda antes do fim do século XIX.
Em 1918, após o fim da Primeira Guerra Mundial, a companhia expandiu as suas vendas até à Bélgica, e os seus cientistas passaram a debruçar-se sobre o estudo dos raios x e das ondas de rádio. Em 1927 a Philips começou a produzir aparelhos de rádio, mas, apesar do sucesso inicial, a depressão mundial dos anos 30 veio limitar a exportação e atrasar a expansão internacional.
Em 1940, quando a Alemanha nazi invadiu a Holanda, a direção da Philips partiu para o exílio em Inglaterra, de onde passou para os Estados Unidos da América.
Terminada a Segunda Guerra Mundial, em 1945, a companhia empenhou-se na reconstrução e, a partir de 1950, a nova Philips passou a produzir televisores e outros aparelhos domésticos.
Em 1962 a companhia fundou, em parceria com a alemã Siemens AG, a PolyGram Group, uma produtora de música que se veio a tornar uma das maiores companhias do ramo de entretenimento no mundo.
A forte concorrência japonesa nos anos 70 veio refletir-se nas vendas da Philips, levando a empresa a optar por uma diversificação das suas operações.
Assim, em 1984, a Philips adquiriu a empresa do ramo eletrónico alemã Grundig AG, e também a divisão de iluminação da americana Westinghouse Electric.
Ao mesmo tempo, a empresa fechava mais de um quarto das suas fábricas na Europa, numa tentativa de reduzir as despesas.
Entretanto, a investigação da empresa no campo do laser e da microeletrónica, levava-a ao desenvolvimento de produtos inovadores, como o disco compacto.
Mas a companhia continuava a perder quota de mercado, o que levou ao inicio de uma rigorosa política de redução de custos que foi responsável pela eliminação de cerca de 6800 postos de trabalho ao longo dos quatro anos que se seguiram.
Em 1993 a empresa adquiriu novamente rentabilidade, e começou a voltar-se para a área dos bens eletrónicos de alta tecnologia, criando a cassete compacta digital (DCC), que conseguia uma qualidade de som muito superior à da cassete áudio vulgar.
A empresa foi também responsável pelo desenvolvimento de alguns elementos fundamentais da "televisão de alta definição" (HDTV) e pela criação do CD interativo (CD-I), um aparelho de jogos de vídeo para usar em conjunto com um televisor.
Em meados dos anos 90 a Philips colaborou com a Sony Corporation na criação do "Disco Versátil Digital" (DVD), um disco com uma capacidade de armazenamento muito superior à do CD.
Em 1998 a empresa vendeu a sua quota na PolyGram à Seagram Company, uma empresa ligada ao entretenimento e à produção de bebidas alcoólicas e mudou a sua sede da cidade de Eindhoven para Amsterdão.
Como referenciar: Philips in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-04-02 14:23:33]. Disponível na Internet: