Pigmalião e Galateia

Segundo a lenda, Pigmalião era escultor de grande nomeada na Ilha de Chipre. Para se entregar inteiramente à sua arte e, por outro lado, indignado com a prostituição a que se entregavam as mulheres da cidade de Amatonte, na Ilha de Chipre, onde se erguia um templo a Vénus, resolveu viver em rigoroso celibato. Vénus, sentindo-se ofendida com esta atitude de Pigmalião e para se vingar, fê-lo apaixonar loucamente por uma estátua de marfim, prodígio de graça e de beleza saído do seu cinzel, a que Vénus havia dado o nome de Galateia.
A deusa do amor, no entanto, comovida pelas súplicas do desventurado, animou a estátua com o fogo da vida. Pigmalião casou com ela e teve um filho a que deram o nome de Pafos, que fundou a cidade do mesmo nome dedicada ao amor.
Como referenciar: Porto Editora – Pigmalião e Galateia na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-12-03 14:15:30]. Disponível em