Pim Fortuyn

Político holandês Wilhelmus Simon Petrus Fortuijn, mais conhecido por Pim Fortuyn, nasceu a 19 de fevereiro de 1948, em Velsen, na Holanda, e faleceu a 6 de maio de 2002, em Hilversum, assassinado por um extremista antifascista.
Estudou sociologia na Universidade de Amesterdão e tornou-se mestre assistente em sociologia na Universidade de Groningen e na Universidade Erasmo de Roterdão.
Cronista e professor, Fortuyn surgiu como figura política já bastante tarde, depois dos cinquenta anos. Depois ter pertencido ao Partido Socialista e de ter tentado, em vão, ingressar no Partido Comunista, acabou por aderir à causa da extrema-direita já na década de 90 do século XX.
Destacou-se enquanto líder do partido local Leefbar Rotterdam (Roterdão Habitável), com o qual, em 2002, conquistou o eleitorado apresentando ideias muito próximas dos cidadãos e aproveitando-se do desgaste de imagem que sofriam os partidos tradicionais.
Fortuyn surpreendeu e chocou alguns quadrantes da sociedade holandesa em fevereiro de 2002 quando sugeriu que fosse alterado o primeiro artigo da constituição do seu país, aquele que proíbe a discriminação. Acabou por ser afastado da liderança do seu próprio partido por causa destas declarações e formou, a 11 de fevereiro, um movimento político a que chamou Lista Fortuyn. Este movimento, ao qual aderiram diversos antigos companheiros do Leefbar, veio a conquistar um terço dos votos nas eleições municipais de Roterdão, ainda esse ano, e tornou-se no maior partido local.
O seu discurso extremista e xenófobo pouco habitual na Holanda, acabou por convencer uma grande franja da população (camadas jovens desfavorecidas) e ao mesmo tempo por lhe granjear diversos inimigos. Defendia, nomeadamente, o encerramento das fronteiras, a saída da Holanda do acordo de Schengen, a aceitação apenas de imigração proveniente da Alemanha, Dinamarca, França ou Inglaterra e um retrocesso na liberalização de drogas. Manifestou-se também inimigo do Islão e lançou um livro contra a islamização da cultura.
Dada a importância que ganhou na sociedade holandesa, Pim Fortuyn foi convidado para participar nos principais debates televisivos juntamente com os grandes partidos, tendo em conta as eleições legislativas de maio de 2002. A morte de Pim Fortuyn ocorreu antes das eleições, onde se previa que o seu partido se tornasse num dos maiores do país.
Pim Fortuyn foi assassinado a 6 de maio de 2002 por Volkert van der Graf, um ativista de extrema-esquerda. Nove dias mais tarde, nas eleições legislativas, a Liga conquistou 26 lugares no parlamento, passando a ser a segunda força política holandesa. No entanto, a partir daí, sem o seu carismático líder, a Liga Fortuyn entrou em decadência e em 2006 deixou de ter representação no parlamento.
Como referenciar: Porto Editora – Pim Fortuyn na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-12-04 07:45:59]. Disponível em