poços artesianos

O termo artesiano aplica-se a toda a situação em que a água subterrânea ressurge num poço a um nível acima do que era inicialmente esperado. Para que esta situação aconteça é necessário que a água esteja confinada num aquífero que seja inclinado a partir da zona onde é alimentado (zona de recarga) e que as camadas acima e abaixo deste sejam impermeáveis, o que impede que a água se escape. Quando uma camada do aquífero é perfurada, a pressão resultante do peso da água que se encontra ao nível superior pode obrigar a água a sair em repuxo, atingindo uma altura próxima do nível superior do aquífero. Contudo o atrito da água com as paredes do aquífero reduz o valor desta pressão. Quanto maior for a distância da zona de recarga (zona onde a água penetra no aquífero inclinado), maior será o atrito e menor o repuxo provocado pela pressão de água.
Os sistemas artesianos atuam como condutas, permitindo a deslocação da água das zonas de recarga, por vezes, longínquas para as zonas de descarga, onde a água resurge.
Desta maneira a água que foi acumulada durante muitos anos numa determinada região pode ser utilizada pela população de uma zona longínqua.
Numa escala mais pequena, os sistemas de fornecimento de água das cidades podem ser considerados exemplos de sistemas artesianos artificiais. O depósito geral para onde a água é bombeada, colocado a um nível elevado, pode ser considerado a zona de recarga, a canalização pode ser comparada ao aquífero confinado, e as torneiras aos poços artesianos.
Como referenciar: poços artesianos in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-09-24 13:00:17]. Disponível na Internet: