Poesia Completa

A reunião da Poesia Completa de Natália Correia foi preparada e em parte revista pela própria autora, que lhe atribuiu o título O Sol nas Noites e o Luar nos Dias (cf. poema VIII de "Rio de Nuvens", "E tudo se esconde / Nessa hora onde / Por estranha magia / brilha o sol de noite / e o luar de dia."). Colige a reedição de toda a sua obra poética (Rio de Nuvens (1947), Poemas (1955), Dimensão Encontrada (1957), Passaporte (1958), Comunicação (1959), Cântico do País Emerso (1961), O Vinho e a Lira (1966), Mátria (1968), A Mosca Iluminada (1972), O Anjo do Ocidente à Entrada do Ferro (1973), Epístola aos Lamitas (1976), O Dilúvio e a Pomba (1979), O Armistício (1985), Sonetos Românticos (1990) e dá à estampa um volume considerável de inéditos, de que consta quer a poesia escrita entre 1941 e 1947 quer tudo o que foi escrito no intervalo da publicação das suas obras poéticas. Na Introdução define o ato poético como uma "recôndita disponibilidade para receber a mercê que [lhe] é dada em palavras de olhar as coisas de uma outra forma, alinhando-as num ritmo que corre para um ponto onde tudo está abrangido", através de uma "linguagem construída na esfera psíquica de fatores transpessoais que atuam como uma força unificadora". Essa totalidade impõe ao poeta uma missão social, tornando-se, então, poesia de combate, numa luta pela justiça definida como moral da vida verdadeira, alheia às leis de "moralismos utilitários" (pp. 30-31), intenso e alquímico ato de "desencantar, em penosa solidão, o engenho de fazer ouvir o sopro da Alma Universal na palavra em que se incuba a transformação da alma da humanidade" (p. 34).
Como referenciar: Poesia Completa in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-24 12:26:17]. Disponível na Internet: