Políbio Gomes dos Santos

Poeta português, Políbio Gomes dos Santos nasceu a 8 de agosto de 1911, em Ansião, e morreu precocemente, vítima de tuberculose, a 3 de setembro de 1939, na mesma localidade.

Frequentou o Instituto dos Pupilos do Exército, que abandonou, passando para Coimbra, onde viria a matricular-se nos cursos superiores de Letras e de Direito.

Não terminou os seus estudos, vítima, aos 28 anos, de tuberculose. Teve, porém, tempo para se afirmar, nos círculos universitários e literários de Coimbra, como uma das grandes promessas da poesia da sua geração.

Ligado à primeira geração neorrealista, colaborou em publicações como Cadernos da Juventude, O Diabo e Sol Nascente. Em 1938 publicou As Três Pessoas.

No ano da sua morte veio a lume o belo livro Voz que Escuta, inserto na coleção Novo Cancioneiro, onde se afirmaram poetas conotados com a estética poética neorrealista, como João José Cochofel, Fernando Namora, Joaquim Namorado, Mário Dionísio e Carlos de Oliveira.

Toda a poesia de Políbio Gomes dos Santos foi depois coligida num só volume, Poemas, publicado em 1981.


Como referenciar: Porto Editora – Políbio Gomes dos Santos na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-11-29 21:52:19]. Disponível em