policloreto de vinilo

O policloreto de vinilo, cuja sigla é PVC, consiste num plástico que se obtém por polimerização do cloreto de vinilo (CH2=CHCl). A fórmula geral do PVC é (CH2-CHCl)n. É um termoplástico, tenaz e rígido (PVC rígido), mas pode tornar-se flexível e elástico mediante a adição de plastificantes (PVC plastificado). Pouco combustível e não tóxico, é resistente a ácidos e bases, mas não a solventes orgânicos. O monómero pode obter-se por adição catalítica de ácido clorídrico ao acetileno.
A polimerização tem lugar geralmente em emulsão, na maioria das vezes com adição de outras substâncias que melhoram as propriedades mecânicas e facilitam a transformação.
O PVC rígido contém geralmente 15% de acetato de vinilo. Pode ser mecanizado com desprendimento de aparas. A 70-80 ºC adquire plasticidade e flexibilidade e nesse estado pode-se moldar, soldar e colar sem dificuldade.
O PVC puro, devido à sua resistência à corrosão, usa-se principalmente em tubos, placas, folhas e peças moldadas para torneiras, materiais de construção, calçado, garrafas, entre outros. É também produto de partida para fabricar fibras e vernizes.
O PVC plastificado costuma conter como plastificantes ésteres de elevado ponto de ebulição e com frequência também cargas. Pode ser desde tenaz, como o couro, até elástico, como a borracha, resistente às intempéries e à abrasão. Utiliza-se como isolante de cabos elétricos, assim como em pavimentos, laminados para decoração, cortinados, couro sintético, mangueiras de régua, etc.
O PVC é um dos plásticos mais importantes e de vasta aplicação. Contudo, a temperaturas elevadas decompõe-se libertando cloreto de vinilo, que pode provocar um tipo de cancro. Além disso, a sua decomposição liberta grandes quantidades de cloreto de hidrogénio, que se acumula na atmosfera, o que transforma num grave problema a eliminação dos seus desperdícios.
Como referenciar: Porto Editora – policloreto de vinilo na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-11-28 02:05:03]. Disponível em