Poltergeist

Entidade, fantasma ou projeção astral, fraude científica, alucinação, acontecimento parapsicológico, ou mesmo psicológico, o fenómeno poltergeist é uma das mais inquietantes manifestações de seres sobrenaturais, no domínio da parapsicologia e das crenças espirituais, tendo sido já tratado em filmes famosos e mesmo na literatura.
Poltergeist é "algo" do plano sobrenatural, raro e espontâneo, o nome usado para descrever um "espírito" do género fantasma e que se manifesta através do movimento de objetos, de forma a agredir pessoas ou atingir objetos.
O termo aliado ao fenómeno tem origem alemã, em poltern (fazer barulho) e geist (espírito). Daí que seja geralmente visto como um espírito travesso e maligno. Uma das características mais conhecidas da sua presença é o cheiro a odores fétidos, para além de luzes estranhas e ruídos intensos. A sua atividade começa a acaba de forma muito abrupta, mas pode ter a duração de horas, dias, meses e, nalguns casos, anos. A noite é o momento em que estes macabros acontecimentos se sucedem, dada a penumbra e o silêncio potenciarem a força e enigma do evento.
O poltergeist, por "norma" fulminante, restringe-se a espaços reduzidos, atingindo, quase sempre, crianças ou jovens (os "agentes" ou "focos"), com mais incidência em indivíduos do sexo feminino.
Este fenómeno foi estudado ao longo dos últimos séculos, mas foi a partir do final do século XIX, com a investigação dos fenómenos psíquicos, que se conseguiu estudar este assunto de forma mais científica. Ao estudar as personalidades das "vítimas", os psicólogos descobriram reações de ansiedade, histeria, fobias, obsessões, esquizofrenia, etc. Contudo, pelo carácter sobrenatural que envolve a perceção deste fenómeno, nenhum dos estudos são conclusivos. Os cientistas referem que as manifestações destes espíritos podem ser explicadas pela física, através de fenómenos relacionados com eletricidade estática, campos magnéticos ou com o próprio ar (ionização).
De acordo com teorias desenvolvidas por psicólogos interessados nesta matéria, como J. K. Rhine ou William George Roll, foi adotado em parapsicologia o nome RSPK, ou seja, "Recurrent Spontaneous Psychokinesis" (Psicocinesia Recorrente Espontânea), para definir o que conhecemos por poltergeist. Essas teorias embora de carácter hipotético, ainda sem concretização, apontam como possível explicação para o fenómeno ações espontâneas, involuntárias e, consequentemente, desconhecidas da mente humana.

Estes efeitos foram abordados tanto na literatura - para-científica, profana ou popular – como no cinema, onde o tema do Poltergeist ganhou notoriedade e universalidade. Destacam-se no universo cinematográfico:
- Poltergeist, de 1982, um verdadeiro sucesso de bilheteira, realizado por Tobe Hooper, com argumento de Stven Spielberg;
- Poltergeist II: The other side (Poltergeist II: o outro lado), de 1986, realizado por Brian Gibson, com argumento de Mark Victor e Michael Grais, numa versão explicativa do primeiro, em termos retrospetivos;
- Poltergeist III, de 1988, realizado por Gary Sherman, que foi coautor do argumento a par de Brian Taggert. Consiste numa abordagem das consequências de Poltergeist I na família Freeling.

Na televisão, Poltergeist foi também título de uma série de terror de origem Canadá/EUA, entre 1996 e 1999, com o subtítulo de The Legacy, uma espécie de remake mas sem o sucesso de Poltergeist I, como aliás qualquer uma das suas sequelas fílmicas.
Também nos livros de Harry Potter surge um fenómeno Poltergeist, na figura de Peeves, embora não na forma clássica do dito evento sobrenatural.
Como referenciar: Poltergeist in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-09-19 22:15:41]. Disponível na Internet: