Ponte da Barca

Aspetos Geográficos
O concelho de Ponte da Barca, do distrito de Viana do Castelo, insere-se na Região Norte (NUT II) no Minho Lima (NUT III) e situa-se na margem esquerda do rio Lima, a 72 km da cidade do Porto. Está rodeado por quatro concelhos, dois pertencentes ao distrito de Viana do Castelo (Arcos de Valdevez a norte e Ponte de Lima a oeste) e os outros dois do distrito de Braga (Vila Verde e Terras de Bouro a sul). Devido à sua forma bastante alongada faz ainda fronteira com Espanha.
A povoação encontra-se dominada pela influência do rio Lima que lhe proporciona variadas paisagens e áreas para o lazer, nomeadamente algumas praias fluviais. Ao longo deste rio, podem observar-se ainda muitos moinhos, alguns deles em funcionamento. Numa área de 182,2 km2, encaixam-se 25 freguesisas: Azias, Boivães, Bravães, Britelo, Crasto, Cuide de Vila Verde, Entre-ambos-os Rios, Ermida, Germil, Grovelas, Lavradas, Lindoso, Nogueira, Oleiros, Paço Vedro de Magalhães, Ponte da Barca, Ruivos, Sampriz, Touvedo (Salvador), Touvedo (São Lourenço), Vade (São Pedro), Vade (São Tomé), Vila Chã (São Tiago), Vila chã (São João Batista) e Vila Nova de Muía.
Em 2005, o concelho apresentava 12 968 habitantes.
O natural ou habitante de Ponte da Barca denomina-se barquense.

História e Monumentos
A ocupação desta área remete para os tempos da pré-história, como se comprova pelos vestígios arqueológicos existentes e pela toponímia local. São numerosos os monumentos megalíticos e os castros. Conservam-se ainda dólmenes e mamoas. Em 1979 descobriram-se gravuras rupestres na freguesia de Lindoso.
O seu tecido urbano é antigo e as ruas estreitas. Por entre casas dos séculos XVII e XIX, dominadas pelo granito, descobre-se um valioso património, com destaque para a igreja matriz, dedicada a São João Batista, do século XVIII e para o pelourinho manuelino, implantado no centro da velha praça do mercado. É de referir ainda os seguintes monumentos: ponte medieval, construída durante a regência de D. Pedro; Igreja da Misericórdia, com a sua fachada rococó da segunda metade do século XVIII; Capela de Santa Rita; Solar de Abreu Lima; Paços do Concelho e antigo mercado.
Nas várias freguesias encontram-se inúmeros monumentos de interesse patrimonial. Refira-se, por exemplo, a igreja românica de Bravães, o Castelo de Lindoso e o largo dos espigueiros do séculos XVIII e XIX.

Tradições, Lendas e Curiosidades
Em Ponte da Barca realiza-se uma feira quinzenal às quartas-feiras, para alternar com o concelho de Arcos de Valdevez. É uma feira de grandes dimensões e por isso mesmo reparte-se por três lugares da vila, cada um mais ou menos especializado em determinados produtos.
Existem ainda feiras anuais a 23 e 24 de agosto e a 22 de dezembro. O feriado municipal é a 24 de agosto.
Esta região de povoamento disperso, trouxe do seu passado a tradição artesanal, o trabalho da madeira, a cerâmica, a fiação e tecelagem, a produção de carvão vegetal, de fogo de artifício e de velas de cera.

Economia
A sua localização geográfica, aliada à confluência de um conjunto de vias de comunicação, contribuiu para o crescimento do comércio, que de certa forma impulsionou a expansão dos serviços. Surge, assim, um setor terciário em crescimento, numa área predominantemente rural. Pratica-se a policultura, numa propriedade bastante dividida, a maior parte das vezes é a vinha alta, chamada de enforcado que estabelece a delimitação entre os campos. A criação de gado está frequentemente associada a esta agricultura de subsistência, constituindo um complemento do rendimento do agricultor. O setor da transformação, este de características mais modernas, estende-se às serrações de madeira e aos laticínios.
Como referenciar: Ponte da Barca in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2018. [consult. 2018-12-14 09:55:59]. Disponível na Internet: