Ponte de Alcântara

Ponte romana sobre o rio Tejo, nas imediações da cidade de Cáceres. Construída em 104 d. C. (quinto ano da governação de Trajano) por iniciativa de onze cidades vizinhas da Lusitânia, cuja lista está inscrita no arco dedicado a Trajano a meio do tabuleiro. É uma das maiores obras de engenharia deste tipo que chegou até nós. A sua construção estará provavelmente relacionada com a formação de um assentamento em Cáceres, em 79 a. C., pelo Cônsul Caecilius Metellus, e com a necessidade de deslocar tropas para ocidente, em direção ao território que viria a ser Portugal. É composta por seis arcos desiguais, atingindo os centrais cerca de 28 metros de diâmetro. Foi construída em granito vindo da pedreira de Piedras Albas. Na extremidade nascente foi edificado um pequeno templo dedicado pelo próprio arquiteto, Caius Julius Lacer, que diz ter construído "uma ponte que ficará para sempre". Foi sofrendo alguns restauros ao longo dos séculos, como após a guerra de 1707 ou das guerras napoleónicas. O nome "Alcântara", conhecido desde 1215, significa "a ponte" em árabe.
Como referenciar: Porto Editora – Ponte de Alcântara na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-11-30 07:18:46]. Disponível em