povo

Povo é, geralmente, considerado a população anónima de indivíduos que vivem num mesmo país, sob as mesmas leis. É também uma boa fatia da população que, não sendo rica, vive do seu trabalho e não goza de privilégios.
Desde a Idade Média, povo era o grupo que trabalhava, enquanto os dois outros grupos sociais rezavam e combatiam.
Povo dá também origem a divisões e hierarquias no seu seio. Na sociedade medieval, no mundo rural existiam os herdadores, mais desafogados porque proprietários, os colonos e os servos e escravos; no mundo urbano, os mercadores e mesteirais e os almocreves; nos concelhos, os peões, os vilões e também os pedintes e os vagabundos. Mais tarde surge, dentro do povo, um novo grupo social, que depressa vai alcançar alguma importância: a burguesia. Inicialmente habitante do burgo, mercador ou mesteiral rico, depois todos esses que, não tendo título nobiliárquico, trabalhavam e acumulavam riqueza, tão importantes que chegam a ter favores dos reis.
Durante o Antigo Regime, ao conceito geral de povo dá-se o nome de Terceiro Estado. Mais uma vez, este é o grupo trabalhador e gerador de riqueza. Contudo, ao longo dos séculos, este grupo está constantemente arredado do poder. As classes dominantes nunca permitiram ao povo uma intervenção muito direta no poder. O povo estava representado nas cortes quando lho permitiam, e quando havia mudanças drásticas do poder colocava-se ao lado daqueles que entendia melhor o defenderem. Era assim nas "revoluções".
Com o advento das democracias modernas, o povo elege quem o governa e está representado nos mais altos cargos de Estado. O sufrágio universal deu-lhe a possibilidade de escolher o seu futuro, como membro de uma Nação.
Como referenciar: Porto Editora – povo na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-09-17 21:15:23]. Disponível em